Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Atualidades / ENTREVISTA!

Daniela Mercury abre o coração sobre amor, família e os 40 anos de carreira

Em entrevista à CARAS Brasil, Daniela Mercury relembrou momentos especiais da carreira e vida pessoal que foram compartilhadas com a revista

Valença Sotero e Mariana Arrudas Publicado em 24/11/2023, às 12h10

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
A cantora Daniela Mercury durante entrevista à CARAS Brasil - Foto: Reprodução/CARAS
A cantora Daniela Mercury durante entrevista à CARAS Brasil - Foto: Reprodução/CARAS

Rainha do Axé, a cantora Daniela Mercury (58) concedeu uma entrevista à CARAS Brasil prestes a completar seus 40 anos de carreira. Durante o papo, a artista celebrou seu casamento com Malu Verçosa (37), abriu a relação com os filhos e ainda relembrou momentos da carreira.

Para ela, o momento de seu casamento com Malu, em meados de 2013, foi um marco bastante importante para sua carreira e para o país. Na época, Daniela Mercury decidiu contar a novidade durante a Ilha de CARAS, e o casório rendeu até outra capa na revista.

"Conversamos e fomos realmente de coração aberto, aflitas, preocupadas... Porque é uma mudança de cultura em um Brasil cheio de questões em relação aos casais homoafetivos. O Brasil é um país de grande maioria tolerante", recorda.

Leia também: Filho de Daniela Mercury, Gabriel assume influência da mãe em sua carreira

Apesar de estarem felizes com o casamento, a artista desabafa que o período não foi fácil. "Minhas filhas passavam a não poder ter os nossos sobrenomes, uma família legal, no sentido dos direitos de todos os casais. Todas as consequências que vieram a partir de termos a possibilidade de nos casar no civil. Isso é uma conquista bem recente no Brasil."

Hoje, 10 anos após o casamento, Daniela Mercury ressalta a importância de ter noticiado a relação, e afirma que isso pode ajudar outras famílias e membros da comunidade LGBTQIA+. Para ela, apesar de ainda haver muito o que melhorar, já existem mudanças importantes na sociedade para acolher e respeitar todas as formas de amor.

daniela-mercury-e-malu
Foto: Cadu Pilotto/CARAS

"Trouxemos à tona uma reflexão de quem são essas famílias. As escolas começaram a deixar de fazer festas do Dia dos Pais, Dia das Mães, para fazer festa do Dia da Família. Estamos falando de todas as possibilidades familiares."

Ela ainda relembrou uma situação que Ana Isabel, chamada carinhosamente de Bela, passou na escola ao falar da família. "Quando ela estava com cinco anos, falou que o coleguinha brigou com ela e disse: 'Vou falar para o meu pai e para a minha mãe', e ela disse: 'Vou falar com as minhas duas mães'."

Daniela Mercury ainda revela que não é tão firme quanto à esposa com os filhos mais novos. "Eu sou uma mãe meio avó com essas mais novas, quem segura o rojão de por limite é Malu. Ela é mais vigilante. Elas vem a mim para ver se eu consigo ajudar a convencer [risos]. É muito engraçado, no casal sempre tem um que é mais mole com os filhos."

DANIELA MERCURY REFLETE SOBRE LUTAS SOCIAIS NO BRASIL

Ao longo da conversa, a artista ainda debateu a importância dos movimentos sociais em território brasileiro. Ela diz que, apesar de apresentar muita tolerância, a sociedade se guia bastante pelo catolicismo e é estruturada em relações heterossexuais, o que pode causar preconceitos.

"A instituição do casamento veio junto à religião, e absorvemos como sociedade como algo importante. Mas viemos aí de uma modernidade tamanha não é? Conquistamos o divórcio, são as mudanças e transformações que a sociedade vai querendo para si. A luta é de muito sofrimento, há muita violência."

Leia também: Daniela Mercury exalta seus feitos na música, na sociedade e na vida pessoal

"Há muito o que fazer, é a mesma coisa das outras lutas: machismo, racismo, patrimonialismo... Demoramos como humanidade a vencer costumes e é muito mais fácil a gente se segurar no que já está ali organizado na sociedade do que a gente quebrar essas regras. Acho que todos os filhos vivem essas questões", completou.

daniela-mercury
Foto: Reprodução/CARAS

"As lutas são muitas. A gente quer equidade, queremos poder, que a gente não tenha tanta opressão, não passe por tanta violência, que não passemos por tanta falta de reconhecimento", completa ela sobre a luta feminina. "São pessoas na sociedade que fazem transformações."

DANIELA MERCURY RELEMBRA DECISÕES DIFÍCEIS NO INÍCIO DA CARREIRA

A artista também diz que, por ter começado a carreira bastante jovem, precisou tomar difíceis decisões. Ela relembra que, desde a adolescência, já era bastante consciente do mundo, dificuldades e lutas que enfrentaria, mas que não imaginava que seria tão complicado.

"No comecinho da carreira eu já tive que fazer escolhas bastantes difíceis", conta. Daniela Mercury relembra que precisou trocar de empresário, que teve que abdicar de certos aspectos para não ficar sujeita a outras pessoas e ainda precisou refletir bastante sobre seu poder como artista e o Brasil.

Ainda no início da carreira de cantora e no auge do disco O Canto da Cidade,  ela também percebeu que, ao se tornar um artista importante, a dificuldade de ser autêntica e mostrar claramente seus posicionamentos também é dificultada, já que a liberdade fica menor. "Eu não queria me perder", completa ela, que precisou aprender a lidar com o poder que conquistou.

A artista também conta que se tornou mãe com 21 anos, o que foi bastante transformador. "O caminho é sempre muito interessante, eu digo aos meus filhos: 'A graça não é chegar no fim, é o caminho'", completa ela, que é mãe de Giovana, Gabriel, Márcia, Ana Isabel e Ana Alice. "Eu estava grávida de Gabriel quando fiz parte da banda Eva. Viajávamos tanto para o interior que eu quase perdi Giovana."

Daniela Mercury relembra que cantava de terça à domingo, cursava licenciatura em dança na Federal da Bahia e ainda dava aulas em duas escolas, por isso contava muito com a ajuda da família e vizinhos. "Na época, o pai dos meninos, meu primeiro marido [Zalther Portela Laborda Póvoas], também tinha uma vida muito difícil, e a gente ficava se revezando para cuidar dos bebês."

daniela-mercury-e-filhos
Foto: Reprodução/Instagram

DANIELA MERCURY CELEBRA SUCESSO NA ARGENTINA E 40 ANOS DE CARREIRA

Agora, Daniela Mercury completa 40 anos de carreira —ou 45 se contar desde que começou a cantar em bares. Além disso, seu emblemático álbum, O Canto da Cidade, completa 30 anos de seu lançamento. Segundo a artista, o disco ganhou a América Latina, em especial a Argentina.

"Consegui ser uma artista das mais populares da história da discografia argentina cantando em português. O Canto da Cidade ganhou a América Latina, mas principalmente a Argentina. Foi o mesmo período que a Xuxa [Meneghel] teve um programa na Argentina, e a CARAS é argentina né? Estavámos celebrando o nascimento da revista argentina, que se tornava brasileira."

Para ela, é emocionante rever toda a trajetória e sua representatividade. "É uma música que fez uma nordestina chegar no Brasil e no mundo. O meu trabalho era fazer com que o meu povo acreditasse em si mesmo. Não posso representar todo o povo brasileiro, mas eu me colocava sempre como uma pessoa nordestina brasileira, mulher, mãe."

joia-caras
Foto: Reprodução/CARAS

Ao fim da conversa, Daniela Mercury recebeu uma joia exclusiva em comemoração aos 30 anos da CARAS, feita especialmente para ela pela designer de joias Rosana Chinche. "Muito obrigada, estou muito lisonjeada. Que escândalo!", comemorou.

CONFIRA TRECHO DA ENTREVISTA DE DANIELA MERCURY À CARAS BRASIL: