Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Zilu Godói relembra assinatura de divórcio: "Chorei muito"

Em entrevista, Zilu Godói relembra o dia em que assinou divórcio de Zezé di Camargo e fala sobre a briga judicial entre a filha, Wanessa, e o humorista Rafinha Bastos

CARAS Digital Publicado em 30/01/2015, às 15h14 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Zilu Camargo - Caio Duran / AgNews
Zilu Camargo - Caio Duran / AgNews

Zilu Godói concedeu nesta sexta-feira, 30, uma entrevista ao programa Mulheres, da TV Gazeta.

Durante o bate-papo, a empresária falou sobre o fim do seu relacionamento com Zezé di Camargo.

"Tudo na vida tem que zerar. A partir do momento que você está separada e não fez o divórcio, não zerou. No dia do divórcio, foi um dia muito especial, era um dia em que a gente estava muito ligado, mas ao mesmo tempo, eu chorei muito, porque mulher é muito emotiva. Você acha que vai perder, mas não vai, é simplesmente um papel. O teu emocional não corresponde aquilo que você pensa que vai ser", comentou.

"Fiquei quase três anos em Miami. Quando a coisa complicou mesmo foi em 2013, quando quis voltar  para resolver o divórcio, para resolver a minha vida", explicou.

A empresária também comentou o desejo de refazer sua vida amorosa e até se casar novamente. "Fui casada por 26 anos e quero casar de novo. Agora só me falta encontrar, né?", brincou.

Zilu também comentou a briga judicial entre Wanessa e Rafinha Bastos, que fez um comentário desagradável quando a cantora, filha da empresária, ainda estava grávida."Eu não o conheço pessoalmente. Eu acho que é aquilo que a Wanessa fala...  A Wanessa me disse uma vez: 'Mãe, como um ser humano pode entrar em sua página e dizer: nossa, que criança horrorosa, para uma criança de 3 anos! É um ser humano louco que faz isso'. Então, não pode ultrapassar a faixa do respeito, então tem que tomar uma atitude. Quando você faz algo para defender alguém que você ama, é válido. As pessoas não têm  o direito de cutucar alguém que você ama com piada, com brincadeira, pra quê fazer isso?", explicou.