Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Roberto Birindelli comemora êxito em 'Império'

Ele celebra um ano de união com Juliana e êxito em Império

CARAS Publicado em 13/03/2015, às 09h46 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Na Ilha de CARAS,  ao lado da publicitária pernambucana, o ator vibra com o papel  de destaque na TV. - CAIO GUIMARÃES
Na Ilha de CARAS, ao lado da publicitária pernambucana, o ator vibra com o papel de destaque na TV. - CAIO GUIMARÃES

Cria do cinema, com mais de 38 filmes, entre longas e curtas-metragens, o ator Roberto Birindelli (52) experimenta pela primeira vez a visibilidade de atuar em um papel de destaque no horário nobre. Intérprete do Josué, fiel escudeiro do Comendador José Alfredo, papel de Alexandre Nero (45), em Império, o uruguaio diverte-se com o assédio.

“Os recados que mais ouço direto são: ‘Me pega como ele fez com a secretária’. Josué tem essa coisa do machão, desperta desejo. Com ele é simples, encoxou no muro, agarrou pelos cabelos, mordeu a nuca, deu o recado”, conta o ator, que, ao contrário do personagem, define-se como um romântico.

Quem concorda é a publicitária pernambucana Juliana Sarda (33), com quem trocou aliança de compromisso há um ano, na Ilha de CARAS. “Ele é delicado, sabe conquistar uma mulher. Mas, óbvio, tem a coisa da pegada forte também, qual mulher não gosta? Mas longe de ser bruto”, derrete-se ela.

A boa fase profissional do ator tem tudo para continuar após o fim da trama, em março. Ele dedica-se ao longa Em Nome da Lei, de Sérgio Rezende (63), a uma série canadense e a projeto de um centro cultural, em uma casa na Gávea, no Rio.

Como lida com esse assédio todo ao seu marido?
Juliana – Com tranquilidade. Ele batalhou tanto na carreira, seria incapaz de podar este momento. Fico feliz por ter conquistado esse estágio de reconhecimento pelo seu trabalho.

Roberto – Ela lida muito corajosamente. Hoje em dia as mulheres não perdem tempo.

Juliana – Mas ele sabe separar bem as coisas.

Roberto – E com o papel há outro retorno peculiar, o de homens de meia-idade dizendo: “Ah, bonita a amizade dele com o Zé’. Não estão mais com vergonha de dizer que assistem a novelas, porque veem ali valores com os quais podem se reconhecer.

O que significou o casamento com a Juliana?
Se quer vida selvagem, case. (risos) É uma montanha-russa. Mas para o desenvolvimento pessoal, é o que mais vai te exigir. Ju me trouxe paciência, firmeza. Aprendemos a não potencializar rapidamente discussões, só mesmo pelo o que é necessário.

Juliana, o que mais a faz admirar o Birindelli?
Juliana – Ele tem uma generosidade inocente, de acreditar em todo mundo. E isso falta nas pessoas hoje em dia. Mas também se dá mal por conta disso.

Roberto – Há coisas que seria bom aprender com o Josué, a não ter papas na língua, por exemplo. Com ele, escreveu, não leu, é analfabeto. Fala as verdades, não leva para casa. Quem faz isso não tem úlcera, culpa, remorso. Sofro para decidir, me culpo, volto atrás, peço desculpas.

Você tem um filho adolescente, Carlo, de outra relação. Que tipo de pai é?
Pelo que vejo, não sou média. Estudo com ele, sei as roupas que tem, do que precisa. Temos grande cumplicidade.

Diria que vive seu melhor momento profissional?
Sou bicho novo na TV e adorei a função, quero mais novelas, mas não é só carreira, também pessoalmente a fase é ótima. A experiência nos ensina a não entrar em roubadas. Não tenho mais o físico de antes, mas sei onde botar a energia. Como numa imagem poética, minha árvore de 20 anos atrás não tinha tronco, só galhos, qualquer vento balançava. Hoje, se um galho quebrar, dane-se.