Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Uma aula de vida com Pierre Cardin

Pierre Cardin deu uma aula sobre sua trajetória de vida e dedicação ao trabalho, em palestra realizada no Shopping Iguatemi, em São Paulo

Redação Publicado em 29/04/2011, às 13h41 - Atualizado às 15h28

Pierre Cardin dá palestra sobre sua vida, em São Paulo - Caio Guimarães
Pierre Cardin dá palestra sobre sua vida, em São Paulo - Caio Guimarães
"Levei toda a minha vida para vocês me conhecerem ainda mais" - é assim que Pierre Cardin, aos 88 anos, começou sua palestra, mostrando logo no primeiro parágrafo de sua fala a vontade que tinha de ser conhecido em todo mundo. O estilista se reuniu com a imprensa, admiradores e amigos, nesta sexta-feira, 29, no Shopping Iguatemi, em São Paulo, para marcar a abertura da exposição dos seus 60 anos de carreira, Pierre Cardin - Criando Moda, Revolucionando Costumes. A palestra com Cardin aconteceu em uma sala de cinema, que desta vez não exibiu nenhum filme, mas conseguiu fazer o público se encantar com a história do estilista. O italiano, criado na França desde os 2 anos, começa falando sobre a eterna vontade de se misturar com a arte. "Eu sempre quis ser ator. Comecei trabalhando como manequim na moda, pois precisava de dinheiro para pagar os cursos de teatro", conta. Cardin foi o primeiro manequim masculino no mundo. A partir daí, ele conseguiu se infiltrar no mundo da moda, conheceu nomes importantes do mercado, trabalhou com Christian Dior, fez figurinos para cinema, viajou o mundo e começou a se destacar como um estilista contestador. "Eu trabalhei na alta-costura, mas era um pouco socialista. Como todo jovem, era um contestador", diz. Querendo uma alternativa aos preços caríssimos da alta-costura, Cardin se orgulha de ter sido o pioneiro no Prêt-a-Porter, produzindo roupas de qualidade em escalas industriais. "Eu fiz minha fortuna graças ao Prêt-a-Porter. Se fosse só pela alta-costura, com certeza não exisitiria hoje", resume. A marca do trabalho Pierre Cardin também foi pioneiro ao transformar seu nome em uma marcar. "Passei a vida inteira viajando o mundo para conhecer as pessoas, pois eu tinha a pretensão de vestir o mundo todo. Hoje tenho licenças em 140 países", declara, com orgulho do feito. Em seu discurso, Cardin defende a dedicação ao trabalho e a importância de se fazer aquilo que traz prazer para alcançar o sucesso. "Eu não dancei nas boates, meu prazer sempre foi o trabalho. Eu fecho os olhos e vejo cores, texturas", conta o estilista, fazendo uma pergunta para platéia: "Gostaria que vocês me imitassem e realizassem tudo o que querem. Mas o que vocês preferem? Viver a juventude ou ter tudo na minha idade?" Cardin explicou que sempre foi ambicioso e queria criar. "Criar, sem imitar. Hoje eu sou o mais antigo costureiro, mas quando comecei era o mais jovem. Sempre olhei pra frente. É claro que olhei os museus, mas não para copiá-los. Um criador não copia, mas é copiado", explica. Outro segredo apontado por Cardin para o seu sucesso é a simpatia. "Existe a sorte na vida, temos que conhecer as pessoas, servir para ser servido e sempre ser simpático. É uma diplomacia", declara. Moda universal Perguntado sobre uma sugestão para vestir as brasileiras, Cardin é direto: "As brasileiras são mulheres internacionais. Não existe um brasileiro, existe espanhóis, italianos... É uma mistura de identidade. Hoje em dia a moda é mundial, não tem segmentos étnicos. O Brasil é internacional. Eu acho muito bonita essa vontade de vocês existirem, são um exemplo pra mim." Para aqueles que questionam a existência da moda, Cardin também deixa seu recado: "Imagine um homem nu no deserto. Se ele não for asiático ou negro, você não vai saber de onde ele veio. A moda situa a gente no tempo, no espaço, na profissão, em classe social. As máquinas, computadores... tudo é moda. A moda é uma análise psicológica." A exposição Pierre Cardin - Criando Moda, Revolucionando Costumes estará aberta ao público até 29 de maio, com 70 looks, acessórios, croquis, fotos e toda a trajetória de vida do estilista.