Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Carol Nakamura se declara para Sidney Sampaio: “Ele é um príncipe”

A bailarina revelou que está ansiosa para ter outro filho e conta como foi ser mãe aos 16 anos: " Depois que ele nasceu, me tornei uma pessoa melhor, mais determinada na vida."

CARAS Digital Publicado em 30/07/2014, às 10h28 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Carol Nakamura e o filho - Cadu Pilotto
Carol Nakamura e o filho - Cadu Pilotto

Quem tem a oportunidade de estar próximo à bailarina e apresentadora-assistente do Domingão do FaustãoCarol Nakamura (31) não se surpreende apenas com a beleza, mas também com o astral contagiante. O sorriso só desaparece quando o assunto são os rumores de uma suposta crise na relação com Sidney Sampaio (34), com quem está de casamento marcado para setembro, no Rio. O ator acompanharia a noiva na temporada CARAS/Neve no Gran Hotel Termas de Chillán, no sul do Chile, mas na última hora não pôde viajar. “Sidney não foi por conta de um problema familiar, precisou ficar no Rio. Mas vai ter o ‘sim’ no dia 13 e é isso o que importa”, enfatiza ela. E para provar que os dois continuam apaixonados, Sidney foi recebê-la no retorno ao Rio, no aeroporto Antonio Carlos Jobim. “Ele é um príncipe. O único homem com quem me casaria”, disse. Antes disso, Carol curtiu agradável e divertido período ao lado do outro homem de sua vida, Juan (15), fruto de relação anterior.

– Como está o casamento?
– Está tudo bem. Tenho uma história muito bonita com o Sidney. A gente se conhece há 8 anos. Independentemente do que a gente vai ser, marido, mulher, namorados, somos amigos desde sempre. Essa conexão já foi feita, tanto que passamos quatro anos afastados antes de reatarmos, há um ano e pouco. Está tudo escolhido a dedo para a cerimônia, tudo tem uma história. No convite, há uma árvore, porque temos um sítio onde plantamos muitas coisas juntos. Vai ser ao ar livre, para poucos, amigos de verdade, pessoas que estão emitindo energia positiva.

– Como vai ser o vestido?
– Pedi à estilista Dani Messih para ser o mais incrível. É romântico. No início, queria algo simples, por ser à tarde. Depois pensei: ‘Pôxa, só vou casar uma vez na vida e com o Sidney, não existe outro’.

– O que mais admira nele?
– Tudo me encanta. Ele é sensível, romântico ao extremo. Fiz 30 anos e ele me deu 30 rosas. No pedido do casamento, como tive um problema de saúde, brinquei que tinha que ir para a Disney antes de morrer, que era um sonho de criança. E ele me pediu em casamento lá. Sabe quando você olha todos os dias para a pessoa, mesmo depois de anos, e fica desconcertada? É assim quando o vejo. Fico nervosa, arrepiada, sinto borboletas. A gente tem conexão, ligação forte, é o único homem a quem eu diria ‘sim’.

– Querem filhos?
– Quero ficar grávida ontem, se Deus permitir. Sou muito família, adoro criança, Sidney também. Não tem momento certo para ser mãe, o momento é quando você está disposta.

– Você foi mãe aos 16, como analisa isso hoje?
– Na realidade, foi uma surpresa, estava namorando e tomando remédio. Então, foi realmente presente de Deus. Eu tive várias dúvidas, se iria conseguir educar uma criança sendo tão jovem. Mas o Juan veio só para acrescentar. Depois que ele nasceu, me tornei uma pessoa melhor, mais determinada na vida.

– O que mais gosta no Juan?
– Ele é um menino sensível e diferente, saca tudo. Se eu estiver chateada, ele me dá um abraço e sempre fica ao meu lado e me apoia, respeita meu espaço como mãe. É um menino que se relacionou com a música desde cedo de forma incrível. Quando estou longe, escuto o que ele cantava para mim quando novo. Ele é amigo e muito parceiro. O chamo de meu combustível. Se em algum momento penso em desistir, se algo me faz perder a cabeça ou a razão, olho para o meu filho e vejo que não posso ser fraca. Ele me mantém em pé, sempre.

– No palco do Domingão você criou uma personagem?
– Não tem como interpretar, por desatenção, mas melhorei. Quando se erra num programa ao vivo, se tentar consertar, piora.

– Qual a importância do Faustão na sua vida?
– Acho que ele nem sabe porque não sou de rasgar seda. Mas ele é muito importante, um pai profissional. Além disso, é muito generoso. Em 2009, tive um sério problema nos rins, fiquei um ano afastada do programa, já tinha passado por seis cirurgias, ninguém descobria o que era. Não tinha mais esperanças. Faustão chegou e disse: ‘Procura o doutor Arnaldo Cividanes, ele vai te curar’. Ele é um cara que praticamente salvou a minha vida, como não vou agradecer? E é do bem, passa credibilidade, é extremamente família, tem uma mulher linda, inteligente, criativa, os filhos dele são educadíssimos. Bato palma e sou mega agradecida por todas as oportunidades que ele me deu.