Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Giba diz que saudade dos filhos o fez tentar reconstruir seu casamento com Cristina Pirv

Ídolo do vôlei nacional, o jogador Giba curte viagem romântica com seu novo amor, Maria Luiza Daudt, no Chile. Ele confessa que sente falta da rotina com os filhos e que só apresentou os herdeiros para a atual namorada após quatro meses

CARAS Publicado em 16/07/2013, às 12h19 - Atualizado em 24/03/2020, às 15h38

Em Chillán, Maria Luiza e Giba se preparam para tour na neve a bordo do Peugeot 3008. Expert no esqui, Malu auxilia Giba no snowboard - Selmy Yassuda
Em Chillán, Maria Luiza e Giba se preparam para tour na neve a bordo do Peugeot 3008. Expert no esqui, Malu auxilia Giba no snowboard - Selmy Yassuda

Com a mesma garra e determinação que protagonizou incontáveis títulos com a Seleção Brasileira de Vôlei, Gilberto Amauri Godoy Filho (36), o Giba, vem conduzindo aquele que parece ser o período de maiores transformações em sua vida. Após o fim do casamento de nove anos com Cristina Pirv (38), com quem tem Nicoll (8) e Patrick (4), o atleta encontrou apoio em seu novo amor, a modelo, atriz e fisioterapeuta Maria Luiza Daudt (33), com quem namora há oito meses. “Quando me separei, em fevereiro do ano passado, ficamos três meses juntos, mas foi difícil e a saudade dos meus filhos me fez tentar reconstruir o casamento. Percebi que não daria certo e voltei para Malu. Desde novembro, estamos juntos novamente”, explica o paranaense. “Giba é um pai exemplar e, hoje, entendo porque voltou para casa... pelas crianças”, afirma ela. “Malu é paciente e me faz ver a vida de uma maneira mais tranquila. Aprendo muito com ela”, derretese ele, que curtiu o Chile com a amada na temporada CARAS/ Neve, em Chillán.

Após 9 anos de união, Giba e Cristina Pirv se separam

E as mudanças não param para o campeão olímpico. A decisão de deixar o time comandado por Bernardinho (53) há cerca de um ano e, consequentemente, a diminuição no ritmo de treinamentos, tem dado ao craque mais tempo para dedicar-se à vida pessoal. “Sempre tive uma rotina fechada, de concentrações, e cheguei à conclusão que meu prazo de validade na seleção venceu. Agora, tenho uma nova vida e consigo agendar minhas atividades, viajar e curtir quem eu gosto”, atesta ele, que atualmente está em negociação com clubes brasileiros.

Solteiros, Giba e Neymar curtem balada em Santa Catarina

– Vocês têm forte sintonia...
Giba – Malu é muito sincera, paciente e eu admiro isso.
Malu – Ele é o homem mais cavalheiro, romântico e simpático que já conheci. Nunca faz distinção entre as pessoas e está sempre de bom humor. Queremos ficar juntos para sempre e até abro mão do casamento, mas quero filhos!
Giba – Nicoll até já perguntou quando ganhará um irmãozinho.

– Há espaço para ciúme?
Giba – Sempre rola, afinal, quando a gente gosta, a gente tem ciúmes! Só que é algo saudável, tanto da minha parte como da parte dela. Confesso que sou um pouco mais, porém conversamos muito e nunca deixamos assuntos pendentes. Nossa ideia é ter um diálogo aberto.
Malu – Giba tem muitos fãs, mas é uma pessoa reservada e já me acostumei com o assédio.

– Como as crianças encaram o relacionamento de vocês?
Giba – Demorei quatro meses para apresentá-las à Malu, pois a separação era recente e eles ainda estavam sofrendo. Sempre dei limites e investi no diálogo, então, hoje, eles já correspondem bem à nova situação, mas sinto muita falta de ter uma rotina diária com eles. Nicoll aceitou com tranquilidade, mas Patrick, às vezes, pergunta quando voltarei para casa.
Malu – Nicoll me chama de mãe postiça. Já o caçula é mais apegado à mãe e não entende direito a situação, mas me adora.

– Sente saudade da Seleção?
– Depois das Olimpíadas de Londres, achei melhor parar. Não quero tirar o lugar de jovens que estão começando e que têm a chance de crescer. Preparei minha cabeça, por isso, não sinto saudade.

– Pensa em aposentadoria?
– Jogo esse ano e, no máximo, até o ano que vem. Faço palestras e cursos de gestão. Gosto da vida corporativa e pretendo atuar nessa área dentro do esporte.

– Foram 20 anos com a camisa brasileira. Qual a maior lição?
– Aprendi idiomas, conheci histórias e lugares diferentes. Descobri que, sem querer, acabo sendo exemplo de superação para as pessoas. Tive leucemia com seis meses de idade, aos 11 anos, cortei o braço e, aos 20, sofri um acidente de carro, por isso, me sinto na obrigação de estender a mão ao próximo. Não há nenhuma medalha olímpica que pague isso.

Recuperando-se de uma cirurgia na tíbia, jogador de vôlei Giba volta ao trabalho como modelo

Confira momentos de diversão entre Giba e sua nova namorada Maria Luiza Daudt: