Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Atualidades / MUDANÇA

Totia Meireles solta a voz em musical e reflete sobre mudança na atuação: 'Me doar'

Totia Meireles contou segredo valioso para a voz e se divertiu com performance durante o Ser Artista Podcast

Totia Meireles é a próxima convidada do Ser Artista Podcast - Foto: Mauro Oliveira
Totia Meireles é a próxima convidada do Ser Artista Podcast - Foto: Mauro Oliveira

Totia Meireles (64) é a próxima convidada do Ser Artista Podcast, de Marcus Montenegro, que será disponibilizado na próxima quarta-feira, 20, às 20h, no YouTube. A atriz solta a voz no musical O Jovem Frankenstein, em cartaz no Teatro Multiplan, no Rio de Janeiro. De acordo com informações obtidas pela CARAS Brasil, ela se divertiu com performance durante o podcast, contou segredo valioso para a voz e ainda refletiu sobre mudança na atuação: "Me doar".

"Eu esperava sempre do diretor em cena, mas, depois de um tempo, comecei a perceber que poderia experimentar, fazer os personagens de maneiras diferentes, que eu também tenho que me doar", compartilhou Totia Meireles sobre a variedade de interpretar um personagem de maneiras diferentes durante a entrevista com Marcus Montenegro.

Com vários trabalhos ao longo de sua carreira como atriz, Totia Meireles também falou sobre a importância da voz nos musicais e revelou uma dica valiosa sobre o tema: "Quando você está fazendo musical, é importante que - depois - você desaqueça a voz. Se você não desaquecer, você continua falando com um tom acima, que parece que está gritando. É preciso descer a laringe e evitar de falar muito após o espetáculo". No bate-papo com Marcus Montenegro, a atriz também se divertiu e impressionou ao soltar a voz para performar Mensagem, de Maria Bethânia.

Leia também: Barbara Bruno completa 50 anos de carreira com feiticeira em peça: 'Liberdade'

Em entrevista à Revista CARAS, em agosto deste ano, Totia Meireles refletiu sobre seu papel em O Jovem Frankenstein: "É uma sátira dos filmes de terror e, após sucesso na Broadway, chega pela primeira vez ao Brasil. Faço a governanta Frau Blücher e tive que correr atrás de algumas coisas, como o sapateado. E o violino é o grande barato, o grande mistério, porque é difícil, tem a posição dos braços, dos dedos... o fundo musical ajuda a criar o clima do espetáculo. A música serve ao texto e o texto serve à música".