Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Viagem / Meio Ambiente

Maria Cândida visita pela quarta vez a Floresta Amazônica e brinca: "Sorte que os guias conhecem cada árvore"

A apresentadora deu detalhes sobre passeios turísticos na região

CARAS Digital Publicado em 05/06/2018, às 18h09 - Atualizado às 19h52

Maria Cândida na Floresta Amazônica - Divulgação
Maria Cândida na Floresta Amazônica - Divulgação

Maria Cândida, com sua experiência pela maior floresta do mundo, aproveitou o Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, para contar por que um refúgio em áreas verdes pode valer a pena!

Como brasileira, em sua quarta visita à Floresta Amazônica, a apresentadora disse que se orgulha muito do "nosso pulmão do mundo", como definiu ela.

As 30 mil espécies de plantas, junto à maior bacia hidrográfica do mundo, com uma fauna fora do comum, encantam a qualquer habitante do país ou de fora dele. Ela mencionou que durante os cinco dias de estadia, os estrangeiros, inclusive, foram maioria no local.

Talvez os preços das passagens assustem a quem mora no sul ou sudeste do Brasil, afinal, são mais caros. "Mas a estadia, em uma pousada simples e confortável, às margens do rio Negro, como fiquei, mais os passeios e alimentação completa, saem por cerca de R$ 2 mil o casal", incentivou a apresentadora.

PASSEIOS NA AMAZÔNIA

O local é repleto de pontos turísticos de tirar o fôlego que vão desde um mergulho com botos cor de rosa até a visita a tribos indígenas da região.

No Recanto do Boto, como é chamado o passeio pelo rio Negro, após 2h30 de barco, os amantes da natureza podem curtir 20 minutos cara a cara com o animal aquático, fazendo carinho e tudo!

"Um passeio que a gente deve fazer para entender a cultura é a qualquer tribo indígena da região. Fui à tribo Tatuio, com 26 etnias que saíram da fronteira entre Brasil e Colômbia, e se juntaram na beira do rio Negro. São 14 famílias. E tenho que falar que o artesanato dos índios é mais caro que o dos ribeirinhos", lembrou Maria Cândida.

No local onde ficou hospedada, o município de Iranduba. a energia elétrica só chegou em 2012! Algumas casas ainda utilizam lamparinas, "não por opção", reforçou a jornalista. As oito comunidades ribeirinhas do lugar vivem apenas do turismo. "Eles fazem uns colares sensacionais tingidos de várias cores com semente de açaí", ressaltou ela. Nessa visita, conheceu algumas paisagens que fizeram parte do cenário da novela A Força do Querer, da TV Globo.

Ainda sobre os passeios incríveis da região, as trilhas de mais de 3h na selva, mata adentro, a apresentadora afirmou que são roteiros perfeitos para quem deseja conhecer plantas medicinais e diferentes, que não são vista em cidades grandes. "Sorte que os guias conhecem cada árvore, como se tivessem o waze mapeado na cabeça. Verdadeiros gps's humanos.", brincou. E completou para os aventureiros:"Não se esqueçam do repelente!"