Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

A receita do riso de Heloísa Périssé

Na África do Sul, atriz e comediante revela bem-estar na vida pessoal

Redação Publicado em 19/07/2010, às 13h19 - Atualizado em 09/08/2012, às 15h22

Heloísa brinca na piscina do hotel The Palace, no complexo de Sun City. - WANDER ROBERTO/INOVAFOTO
Heloísa brinca na piscina do hotel The Palace, no complexo de Sun City. - WANDER ROBERTO/INOVAFOTO
De volta aos palcos com o maior sucesso de sua trajetória, a comédia recordista de público Cócegas, e prestes a estrear no cinema com sua visão muito divertida da adolescência, com o filme O Diáro de Tati, a atriz Heloísa Périssé (43) revela sua fórmula para viver em equilíbrio: além de fazer o público rir, ela mantém constante alegria. Foi assim também em sua passagem pela África do Sul, onde se hospedou na Embaixada de CARAS, no Rattray's em MalaMala Game Reserve, o maior parque privado de animais selvagens do país, e no suntuoso hotel The Palace, um universo de luxo construído em meio à selva. Casada com o diretor de cinema Mauro Farias (53) há oito anos, ela aproveitou a viagem e o contato com a natureza selvagem para refletir sobre sua essência, sempre lembrando das filhas, Antônia (3), e Luiza (11), fruto do relacionamento com Lug de Paula (53). - Tem uma receita de beleza? - Agora estou fazendo ginástica em casa. Adoro correr e cuidar da minha pele. Mas o melhor ritual de beleza é ter paz interior. Quando se está bem, o exterior vira reflexo do interior. As pessoas ficam preocupadas em esticar tudo, mas se esquecem que o olhar nunca mente. O que mantém a jovialidade é estar com a alma viva e bem. Ter luz é isso: o bem-estar. - Como cuida da alimentação? - Estou aplicando uma nova alimentação com a orientadora alimentar Rachel Barros, que me trata só com coisas naturais. Ela faz um estudo de cada paciente. O meu pecado da gula, por exemplo, é o doce, que fiquei um ano e dois meses sem comer. Para passar a ansiedade de comer, por exemplo, corto uma cebola em camadas e coloco no forno com água em um vidro até secar. Jogo um fio de azeite nela e como pensando em um manjar dos deuses. - Você é regrada? - Sou. Mas tenho de aproveitar toda esta gastronomia deliciosa da África do Sul. A orientação é beber muita água e comer muita fruta, principalmente pela manhã. - Como é a sua dieta? - De manhã, quando acordo, tomo um copo de água e coloco aquele pouquinho de geleia real na boca. Tem um suco que faço com tudo orgânico: uma maçã, duas cenouras, uma folha de couve, outra de chicória e um punhado de hortelã e outro de salsinha. Enrolo tudo e coloco ainda um talo de aipo. Bato com aquela alga bem branquinha e bebo. Isto me dá energia para o dia e me faz sentir muito melhor. As pessoas me dizem que estou com a pele bonita. - A África é revigorante? - Ter vindo para cá tem tudo a ver com meu momento, ligado à natureza e à minha essência. Fiz a novela Cama de Gato (2009-2010) e agora é tempo de descansar, de me voltar para a família e para as filhas até que venha outro trabalho. O contato com a natureza é a coisa mais linda que já vi na vida. Fiquei apaixonada porque isto aqui é um sonho. A khaya (casa) é muito confortável. Já o The Palace, em Sun City, é de grandiosidade indiscutível e tem umas reproduções muito bonitas. Mas eu gostaria mesmo de voltar aqui para MalaMala, especialmente com as minhas filhas, quando elas tiverem mais idade, para poder fazer os safáris diurnos e noturnos. - As aventuras dão medo? - O que é fácil para os outros é sempre mais difícil para mim. Eu engulo um camelo, mas engasgo com um mosquito. Tenho pânico de lagartixa, por exemplo, mas enfrento um leão, dá para acreditar? - Como avalia a novela? - Foi minha primeira novela. Sou uma atriz que quer fazer de tudo, não quero me prender a uma coisa só. Vi uma diferença imensa, comparando a fazer um programa de humor. Quando acabou o Sob Nova Direção, em 2007, estive um tempo ausente, quando aproveitei para descansar a imagem e criar. - Você sempre fará humor? - Humor é uma música sutil, um ritmo complicado. Você tem de saber a hora de fazer as coisas. Às vezes, você não precisa fazer nada e faz alguém rir, dependendo da verdade com que faz aquilo. - E este ano, como vai ser? - Vamos prosseguir, eu e minha superamiga Ingrid Guimarães, com a peça Cócegas. E neste ano também vou conseguir, finalmente, lançar a versão para cinema de O Diário de Tati. Este trabalho teve nosso empenho total, mas cinema no Brasil é muito difícil, há uma burocracia enorme. Mas Deus já deu a ordem e a vontade Dele é soberana. O filme é baseado no livro que eu fiz quando a Luiza tinha 1 ano. Vendeu 70000 exemplares e é um sucesso desde o seu lançamento. Também por causa do Fantástico, até hoje as pessoas lembram da personagem, que continua em uma das esquetes do Cócegas. Eu acho que as pessoas querem rever a Tati e gostarão do filme. - As aventuras dão medo? - O que é fácil para os outros é sempre mais difícil para mim. Eu engulo um camelo, mas engasgo com um mosquito. Tenho pânico de lagartixa, por exemplo, mas enfrento um leão, dá para acreditar? - Como avalia a novela? - Foi minha primeira novela. Sou uma atriz que quer fazer de tudo, não quero me prender a uma coisa só. Vi uma diferença imensa, comparando a fazer um programa de humor. Quando acabou o Sob Nova Direção, em 2007, estive um tempo ausente, quando aproveitei para descansar a imagem e criar. - Você sempre fará humor? - Humor é uma música sutil, um ritmo complicado. Você tem de saber a hora de fazer as coisas. Às vezes, você não precisa fazer nada e faz alguém rir, dependendo da verdade com que faz aquilo. - E este ano, como vai ser? - Vamos prosseguir, eu e minha superamiga Ingrid Guimarães, com a peça Cócegas. E neste ano também vou conseguir, finalmente, lançar a versão para cinema de O Diário de Tati. Este trabalho teve nosso empenho total, mas cinema no Brasil é muito difícil, há uma burocracia enorme. Mas Deus já deu a ordem e a vontade Dele é soberana. O filme é baseado no livro que eu fiz quando a Luiza tinha 1 ano. Vendeu 70000 exemplares e é um sucesso desde o seu lançamento. Também por causa do Fantástico, até hoje as pessoas lembram da personagem, que continua em uma das esquetes do Cócegas. Eu acho que as pessoas querem rever a Tati e gostarão do filme.