Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Após o casamento, Nando Dolabella e Marcella Valente curtem viagem ao Caribe

"Marcella será a mãe do meu filho, então cultivo isso desde o início", revelou o ator na lua de mel em Curaçao

CARAS Digital Publicado em 17/09/2014, às 10h27 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Lua de mel de Nando Dolabella e Marcella Valente - César Alves
Lua de mel de Nando Dolabella e Marcella Valente - César Alves

Mi stimabu. Masha hopi mes (Eu te amo. Muito mesmo). A declaração em papiamento, língua falada em Curaçao, mistura de holandês, espanhol, inglês, português e dialetos africanos  e nativos, deu o tom da lua de  mel de Marcella Valente (29) e Nando Dolabella (31) na paradisíaca ilha caribenha. Apaixonados, os atores, que se casaram à beira- mar em Búzios, RJ, falaram sobre a bela história de amor iniciada há três anos.  “Chorei demais no casamento, me uni à pessoa que escolhi para passar o resto da vida”, declarou-se ele na viagem organizada pela Kori Tour.

– Curaçao correspondeu às expectativas de vocês?
Marcella – Muito. As pessoas são simpáticas e o mar, realmente, parece uma piscina. E tem os golfinhos. Nadar com eles foi o pico da viagem. São bem treinados e tratados, doces. E  gostam de carinho. Realizei um sonho.
Nando – Caribe é sinônimo de praia. É um lugar que todo mundo deseja conhecer.

– Por que noivado e casamento em modelo mais tradicional?
Marcella – Acho isso importante, sim, a gente valoriza muito a família. E não se trata de caretice, queremos apenas dar um passo de cada vez. E, após a lua de mel, vamos construir uma vida nova realmente, porque a gente não morava junto. Só vamos nos mudar para nosso apartamento na volta. Gosto de curtir o passo a passo.

– O romantismo de vocês também chama a atenção...
Marcella – A vida, sem querer repetir clichê, é feita de momentos e a gente precisa cultivar isso. Faço questão de ser carinhosa, romântica, viver da melhor forma possível. Nando tem isso até mais forte.
Nando – Sou romântico à moda antiga mesmo. Não deixo de abrir porta do carro, levar café na cama. Marcella será a mãe do meu filho, então cultivo isso desde o início. Sei que a gente vai chegar ao fim da vida e, ao olhar para trás, terá a certeza de que tudo foi incrível!

– E o que fazem para manter a química e cumplicidade?
Marcella – Acho importante o diálogo e evitar brigas. Briga só desgasta. Se não gosto de algo, falo logo, até para ele não fazer mais.  É importante deixar tudo às claras, ser verdadeiro e sincero. E carinho e romantismo sempre.

– E vocês nunca brigaram?
Nando – E nossa intenção é jamais brigar. Dialogamos bastante, não damos motivo. Já fui muito ciumento, mas aprendi com a vida, amadureci. A serenidade chega.

– Mas a profissão de vocês  não complica lidar com ciúme?
Nando – Como os dois são atores, entendemos melhor isso.
Marcella – Sabemos conversar, acalmar. É a maturidade. Valorizamos o amor verdadeiro. 
Nando – Hoje tudo é descartável. Queremos preservar nosso amor, sabemos que não é uma briguinha que vai nos separar. A conquista do outro é tarefa diária

– Estão preparados para momentos difíceis?
Nando – Todo mundo passa por percalços e obstáculos. O importante é estarmos juntos, sempre unir forças.

– E filhos?
Marcella – Um passo de cada vez. Primeiro, vamos curtir a vida de casado. Só daqui a um ano vamos começar a pensar nisso.

– Vocês também têm projetos profissionais juntos?
Nando – Sim, com minha mãe, Pepita Rodriguez, planejamos  fazer uma peça os três. E também quero escrever para teatro.