Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Farra aquática de Adriane Galisteu e Vittorio

Com o filho, ela recorda a doçura de ser criança em temporada em Orlando

CARAS Digital Publicado em 04/07/2015, às 18h04 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Adriane Galisteu - Rodrigo Athie
Adriane Galisteu - Rodrigo Athie

Brincar, amar e sorrir. Esses são, definitivamente, os verbos que Adriane Galisteu (42) mais conjuga e pratica quando está ao lado de Vittorio (4), fruto da feliz união com Alexandre Iodice (44). Durante dias de relax na mágica Orlando, Flórida, mãe e filho não apenas intensificaram tais verbos, como protagonizaram momentos que ficarão para sempre na memória. “Volto a ser criança com Vittorio. É até difícil saber quem se diverte mais. Eu me jogo em todas as atrações com ele. Para nós, não há tempo ruim”, disse a atriz e apresentadora, que se esbaldou no Discovery Cove, um dos quatro parques do complexo SeaWorld. “Nadar com os golfinhos foi o ponto alto da viagem, sem falar que é um parque tranquilo, com clima de spa. A gente descansa e curte os animais”, falou Dri, acompanhada ainda pela mãe,  d. Emma (72). Corajoso, Vittorio não pensou duas vezes e, ao entrar na água com os golfinhos, logo se “enturmou.” “Ele não tem medo de nada! Assim como brincou com golfinhos, também se aventura em uma montanha russa. E eu, claro, fico apavorada”, riu a estrela, fã confessa  dos simpáticos anfitriões. “Não há  como não se apaixonar pelos golfinhos. Já nadei diversas vezes com eles, mas o coração sempre dispara como se fosse  a primeira vez”, frisou ela, que pilota com o amado o programa Papo de Cozinha com Dri e Alê, no Discovery Home & Health.


– Como encara a personalidade destemida de Vittorio?
– Ele realmente não tem medo de nada. Coloco limites, pois um pouco de medo não faz mal a ninguém. A gente cria o filho para o mundo, mas Vittorio está crescendo rápido. Hoje, tenho de ficar pedindo para ele vir no meu colo. Não estou preparada para vê-lo independente, mas também não acho que serei mãe ciumenta.


– O que aprendeu com ele?
– Mãe acha que vai ensinar o filho, mas é o contrário. Aprendo todo dia com ele. Vittorio é uma criança simples, que gosta de coisas simples. Uma bola, por exemplo, faz a alegria dele. Todo dia, ao olhar para ele, eu me emociono, pois ele é a continuação da minha história, da minha família.


– Ao longo destes quase cinco anos, você mudou como mãe?
– Não sei dizer, pois aprendo a ser mãe todo dia. Meu referencial é minha mãe e, seguindo a linha dela, acho que farei a coisa certa. Ser mãe é meu melhor papel.


– O que teme no futuro dele?
– Educar uma pessoa é um desafio e uma enorme responsabilidade. A educação é o alicerce de tudo e o nosso País está carente dela. Ficaria constrangida se Vittorio me perguntasse sobre a corrupção, os roubos e a impunidade que vemos estampadas nos jornais e revistas. Como explicar isso? Quero que ele tenha experiências de vida e conheça diferentes culturas para assimilar tudo.


– Ele herdou DNA artístico?
– Vittorio é espontâneo, mas não sei se seguirá carreira no meio. Vou aplaudi-lo independentemente do caminho que seguir. Quero transformá-lo em um cara do bem, que goste da vida e seja feliz.


– O desejo de ser mãe pela segunda vez permanece?
– Eu tento, mas não é algo que me preocupa. Quando questiono Vittorio se ele quer um irmão ou irmã ele responde: “Não mamãe, eu estou bem assim!” (risos)


– TV aberta é outro anseio?
– Meu grande sonho é voltar, nunca escondi e sei que a minha hora vai chegar. Enquanto isso não se concretiza, me preparo para retornar aos palcos, para a segunda temporada do Papo de Cozinha com Dri e Alê e cuido do meu site.


– Você sonha, deseja, mas não fica escrava desses desejos...
– Não sou mulher de me lamentar. Todo mundo tem momentos ruins e não dá para ficar parada esperando as coisas acontecerem. Sempre fui atrás dos meus objetivos com leveza e confiança.