Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
TV / Fofo!

Sidney Magal fala como sua partipação no 'The Masked Singer Brasil' foi importante para sua neta

O cantor comentou como aparecer no programa foi significativo para sua neta

CARAS Digital Publicado em 11/08/2021, às 14h40 - Atualizado às 15h04

Sidney Magal foi o Dogão no 'The Masked Singer Brasil' - Globo/Kelly Fuzaro
Sidney Magal foi o Dogão no 'The Masked Singer Brasil' - Globo/Kelly Fuzaro

Sidney Magal (71) foi o primeiro personagem no The Masked Singer Brasil.

Em entrevista, o cantor e ator contou como foi aparecer na televisão vestido de hot-dog nesta terça-feira, 10, e como isso foi importante para sua neta.

"No dia que eu fosse desmascarado, gostaria que ela tivesse essa emoção de ver que o avô dela estava ali brincando, vestido de Dogão e divertindo as pessoas, que eu acho que é a finalidade maior de qualquer artista. Acredito que, no fundo, ela ainda vai se emocionar muito quando ver que as coisas lá em casa são feitas com muito amor, como eu gostaria que fosse com a humanidade”, falou ele.

Sidney Magal ainda comentou sobre a oportunidade de participar do programa. "Quando me convidaram para o ‘The Masked Singer Brasil’ eu não conhecia tanto o programa, comecei a assistir imediatamente e me encantei. É sensacional e criativo. Estamos acostumados a cantar na televisão com a nossa cara, com a nossa roupa e, de repente, você tem a oportunidade de colocar a dúvida na cabeça das pessoas. Isso é muito divertido", declarou.

O famoso também descreveu como foi ter que entrar no figurino pesado. "Primeiro foi gostoso e quente! (risos) Eu sou uma pessoa grande e a roupa limita um pouco. Aquele sapato grande, ensaiei antes os passos para não me atrapalhar na hora. Eu não pude dançar muito, não tinha como mexer a cintura, mas foi uma experiência que eu nunca tinha vivido antes", disse.

Sobre a experiência, Sidney Magal apontou o que mais foi desafiador e mais fácil: "Para mim, o maior desafio foi ensaiar e fazer coreografias com moletom, luvas e face shield. Eu tenho o clima da Bahia dentro de mim. Fazer o programa é muito emocionante, a relação que eu fiz com a minha guardiã foi ótima, uma pessoa super carinhosa, a gente ria e se divertia com tudo. O ambiente ficou muito mais fácil. Em uma época de pandemia, fazer as pessoas se divertirem, sorrirem é muito gostoso. E outra coisa que me emocionou na hora foi a plateia. A gente tinha uma plateia reduzida, porém, depois de um ano e meio, você olhar e ver pessoa te aplaudindo foi muito emocionante".

Em sua rede social, o cantor compartilhou um pouco mais da experiência que viveu no palco ao lado de Ivete Sangalo (49), que está apresentando o programa.