Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
TV / Susto

Sabrina Petraglia relembra parto prematuro do filho: ''Não sabia o que era uma UTI de bebê''

A atriz falou sobre os momentos de tensão que passou com Gael, que precisou ficar na UTI

CARAS Digital Publicado em 10/11/2020, às 15h26 - Atualizado às 15h28

Sabrina Petraglia relembra parto prematuro do primeiro filho - Reprodução/Instagram
Sabrina Petraglia relembra parto prematuro do primeiro filho - Reprodução/Instagram

Sabrina Petraglia está vivendo um momento especial na suda vida. Casada com Ramón Velázquez, a mãe de Gael, que está com 1 ano, está à espera de uma menina, que se chamará Maya, e tem data de nascimento prevista para o dia 11 de janeiro. 

A atriz divide com os fãs algumas situações da maternidade real e expôs que teve algumas complicações no parto do primogênito, que precisou ficar na UTI. Em entrevista ao portal Gshow, ela relembrou o momento difícil e a decisão de contar os seguidores o que viveu. 

"Foi muito difícil o que eu vivi com o Gael. Não sabia o que era uma UTI de bebês. Minha história acabou de uma maneira muito feliz, mas eu ainda mantenho contato com algumas mães que não tiveram o mesmo final que o meu. Resolvi abrir minha história. Demorei um pouco porque isso mexeu demais comigo. Minha relação com o Ramón foi para outro patamar, porque a gente se apoiou. [...] Hoje, entendo que não tive culpa, que Gael veio na hora que ele quis vir. A bolsa rompeu com 34 semanas e era a hora dele. Ele é apressadinho mesmo (risos)", afirmou. 

"Depois de um tempo, pensei: ‘Preciso falar sobre isso’. Para avisar às futuras mães e até para criar essa rede de mulheres, porque é muito importante essa troca, tanto com as enfermeiras, quanto com as médicas e as outras mulheres. Isso foi fundamental para eu conseguir ficar de pé nos 19 dias na UTI. O tempo fechou para mim. Eu falei: ‘Socorro, posso perder o meu filho’. Ele nasceu e não respirava", relembrou. 

Sabrina contou que só pode pegar o herdeiro 10 dias após o nascimento. "Chegou uma hora em que ele não evoluía. Demorou 10 dias para eu pegar meu filho no colo. Foi horrível. Então precisei falar sobre isso, tanto para abraçar outras mães, quanto para contar que essa experiência pode acontecer com qualquer um. E se acontecer, calma que tem saída. Para dar um fiozinho de esperança e para preparar também."

"Essa experiência do Gael na UTI acho que foi um marco na minha vida. Já é forte a maternidade, né? Quando um bebê nasce é uma mudança avassaladora, passar pela UTI então é mais profundo ainda. Você dá valor a outras coisas. Minha vida mudou. Hoje na minha família é tudo muito mais gostoso, verdadeiro, sereno... Acho que essa experiência foi muito dolorosa e árdua, mas serviu para mudar muita coisa dentro da gente", acrescentou.