Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
TV / Luta

Sabrina Parlatore relembra sua luta contra o câncer: ''Eu morri e voltei a nascer''

A apresentadora deu uma entrevista a um canal do YouTube

CARAS Digital Publicado em 05/10/2018, às 20h00 - Atualizado às 20h20

Sabrina Parlatore - Instagram/Reprodução
Sabrina Parlatore - Instagram/Reprodução

Sabrina Parlatore concedeu uma entrevista ao canal de Julia Faria. A youtuber aproveitou o mês da conscientização das mulheres sobre o câncer de mama para convidar a apresentadora para falar sobre o assunto.

A ex-modelo brasileira começou contando como descobriu a doença. "Foi em maio de 2015. Eu estava assistindo TV e quando cocei o meu peito, senti um caroço, fiquei super preocupada e vi que era uma bolinha. Corri no médico no dia seguinte e já fui fazer todos os exames. Só que tem um porém. Esse caroço já tinha aparecido um ano antes, nos meus exames de rotina, mas o médico não deu muita atenção a ele, apesar do laboratório ter indicado uma biópsia", disse ela, aconselhando a todos pedir sempre uma segunda opinião.

A também cantora relatou que logo após o diagnótico ela já fez a cirurgia, cerca de um mês depois, retirando apenas o tumor e conservando sua mama.

Mesmo tendo sido curada com a operação, ela precisou fazer uma quimioterapia preventiva. Segundo ela foi a parte mais difícil de todo processo. “A quimioterapia é de matar, é de arrasar, é um atropelamento! Não vou aliviar não, o protocolo que eu tive é de matar. Eu morri e depois voltei a nascer. É muito forte, muito agressivo, um veneno que você toma. Porque ele mata o que tem de ruim e de bom. Altera o seu corpo inteiro. No meu tratamento foram 16 sessões, um protocolo bem pesadodisse.

Sabrina ainda falou que no começo conseguia fazer suas coisas normalmente, mas que depois acabou sentindo o peso do procedimento. "No início você até tem energia, mas vai minando com o acúmulo da toxicidade das drogas. Você vai ficando muito cansada. No final do tratamento eu estava um caco. Eu não conseguia nem respirar direito, uma coisa violenta. Eu achava que eu ia morrer do tratamento", revelou ela.