Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Rogéria revela que quase foi atacada no Egito por estar usando roupa justa

A artista ainda falou sobre sua primeira experiência ao encontrar com a cantora Elis Regina: "Tive a certeza de que ela seria uma das maiores cantoras do Brasil"

CARAS Online Publicado em 29/08/2013, às 15h52 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Rogéria dá entrevista a Jô Soares - Divulgação/TV Globo
Rogéria dá entrevista a Jô Soares - Divulgação/TV Globo

Rogéria será a entrevistada de Jô Soares em seu talk show na noite desta quinta-feira, 29, na Globo. A artista, que foi batizada como Astolfo Barroso Pinto conta como surgiu o nome Rogéria. “A Zélia Hoffman dizia que Astolfo era nome de executivo, que eu deveria mudar para Rogério. Uma vez estávamos no carnaval e a platéia começou a gritar meu nome no feminino. Naquele momento me senti descoberta, fiquei apaixonada e não larguei mais o nome Rogéria”.

Em turnê pelo Brasil com o show ‘Garotas do Brasil’, Rogéria conta um pouco de suas experiências no exterior. “Eu quase fui atacada no Egito uma vez. Estava andando com roupas mais justas e de repente passou um taxi e me mandou entrar. O motorista falava francês e eu achei a situação muito estranha, mas quando olhei para traz tinham quase 100 homens me perseguindo”, lembra. Ela ainda fala que a saída do país também foi um pouco conturbada. “O Brasil estava me chamando mas o Egito não me deixava ir embora. Eu tive que fingir que estava passando mal para conseguir ser liberada dos shows”.

Rogéria ainda comenta sua paixão por futebol. “Eu amo futebol desde sempre. Quando eu era moleque eu dava uma de moça nos jogos. Meu irmão era um grande goleador, mas ele não queria que eu jogasse com ele. Então, sempre que eu insistia ele me colocava no gol. Só que eu fugia da bola toda vez que ela vinha, eu não queria nem saber de nada, ficava lá só para provar que aquele lugar não era só dos machões”.

Com muito bom humor, ela também conta algumas histórias do começo da carreira e da época em que trabalhava como maquiadora na TV Rio. “Quando eu conheci a Elis Regina foi muito engraçado. Passou por mim uma menina chata que me convenceu a maquiá-la, mas eu não sabia quem era. Quando eu escutei ela cantando eu tive a certeza de que ela seria uma das maiores cantoras do Brasil”.