Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
TV / Despedida!

Relembre os momentos mais marcantes da carreira do grande apresentador brasileiro Gugu Liberato

Somando 46 anos de carreira, o apresentador Gugu Liberato marcou uma grande geração de telespectadores

CARAS Digital Publicado em 22/11/2019, às 21h20 - Atualizado em 25/11/2019, às 16h09

Apresentador teve morte cerebral após queda em sua casa - Divulgação/Record TV
Apresentador teve morte cerebral após queda em sua casa - Divulgação/Record TV

Antônio Augusto Moraes Liberato, conhecido por Gugu Liberato,  faleceu nesta quinta-feira, 21, após sofrer um acidente doméstico. O apresentador estava em Orlando, nos Estados Unidos, visitando os três filhos quando acabou caindo de uma altura de aproximadamente 4 metros e bateu a cabeça na quina de um móvel.

O apresentador foi destinado a estar em frente às câmeras, desde pequeno começou a mandar cartas para Sílvio Santos com ideias de programas e com apenas 14 anos, se tornou assistente de produção do programa Domingo no Parque.

Somando 46 anos de carreira, Gugu marcou uma enorme geração de telespectadores. Liberato, até então, estreou à frente das câmeras em 1981, apresentando o Sessão Premiada, onde distribuía prêmios no intervalo dos filmes exibidos pelo SBT, a convite do próprio Sílvio. 

Entre seus inúmeros momentos, Augusto Liberato levou grandes prêmios e conquistas ao longo da carreira, estão um disco de ouro em 2002, 11 estatuetas do Troféu Imprensa, conquistadas entre os anos de 1982 e 2008, além do Troféu Internet em 2005. 

Em 1987, assinou com a TV Globo, porém o próprio dono do SBT foi ao Rio de Janeiro para conversar com Roberto Marinho, proprietário da emissora carioca, para cancelar o contrato do apresentador. Com isso, Gugu recebeu uma proposta milionária para permanecer no SBT e a garantia de ganhar um programa dominical. 

No ano seguinte, Silvio e sua equipe criaram o Viva a Noite, um programa exibido aos sábados. Começou dividindo o programa com outros apresentadores, mas logo assumiu sozinho a apresentação, permanecendo no ar por 10 anos. 

Na década de 1990, Gugu comandou os dois programas pelos quais mais é lembrado: o Sabadão Sertanejo, que substituiu o Viva a Noite na grade do SBT, e o Domingo Legal. No dominical, que trazia atrações musicais e celebridades em provas ao vivo, além de quadros como a Banheira e o Táxi do Gugu, Liberato viveu o auge de sua carreira, travando uma guerra semanal com Faustão pela liderança. Inclusive, esses quadros despertaram o interesse de Silvio Santos para as famosas pegadinhas.

Criado pelo próprio, a Banheira do Gugu é até hoje um dos quadros mais comentados do programa e da televisão brasileira, onde convidados famosos tentavam encontrar sabonetes espalhados pela banheira e eram impedidos por uma modelo de biquíni. 

Luíza Ambiel, Solange Gomes, Nana Gouvêa e Helen Ganzarolli foram algumas das modelos que passaram pela banheira, todas devidamente lembradas com saudades até hoje pelos marmanjos que assistiam ao programa só por causa delas. Entre os convidados mais marcantes do quadro Tiririca foi o que levou a maior audiência.

O quadro deixou de ser exibido em 2000, principalmente por conta da censura proposta na televisão brasileira, já que cenas um tanto quentes acabavam indo ao ar num programa familiar numa tarde de domingo. E mesmo assim, era um dos quadros mais pedidos após o encerramento.

Além disso, foi no programa dominical também que Gugu protagonizou um dos piores momentos de sua carreira: em 7 de setembro de 2003, o programa exibiu uma entrevista com dois supostos líderes do PCC. Em seguida, a Polícia Civil concluiu que a conversa com os integrantes da facção era falsa. A edição foi suspensa a pedido do Ministério Público e afirmou que o dominical teria feito apologia ao crime. Em seu depoimento, o apresentador negou saber que a entrevista fosse armada e responsabilizou sua equipe de produção.

O programa Domingo Legal permaneceu sob seu comando até 2009, quando decidiu se transferir para a Record TV. O mesmo estreou no mesmo ano na emissora, apresentando o Programa do Gugu que também se passava nas noites e posteriormente, nas tarde de domingo, ficando no ar até 2013.

Após rescisão de contrato com a Record TV, Gugu ficou dois anos afastados das telinhas, até retornar na mesma emissora em 2015, apresentado Gugu, que passava de noite de segunda a sexta. Foram dois anos comandando o show, que acabou em 2017. No ano seguinte, passou a apresentar os realitys Power Couple Brasil e Canta Comigo.

O apresentador também marcou gerações em sua época no cinema e trabalhou ao lado de grandes nomes como Os Trapalhões e XuxaOs Fantasmas Trapalhões (1987) foi o primeiro a contar com a participação de Gugu. No filme, o apresentador atua ao lado de Didi e Dedé como o delegado Augusto. Em seguia, continuou em O Casamento dos Trapalhões (1988) e diferente de suas experiências anteriores, aqui Gugu fez uma participação como ele mesmo.

A última participação de Gugu nos cinemas foi em 2001, em Xuxa e os Duendes. Na produção, Liberato faz o papel de Rico, um empresário manipulado pelo duende da inveja. Por conta disso, o personagem destrói a natureza e só pensa em dinheiro. Se tornando assim, seu primeiro papel como vilão.