Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Regina Manssur faz um balanço da carreira após participação no reality 'Mulheres Ricas'

A advogada diz que participação em programa não afetou a rotina no escritório e que pretende voltar na próxima edição

Thiago Azanha Publicado em 11/06/2013, às 13h43 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Regina Manssur mostra suas viagens inesquecíveis - Divulgação
Regina Manssur mostra suas viagens inesquecíveis - Divulgação

A advogada Regina Manssur, uma das mais polêmicas participantes do reality Mulheres Ricas, faz um balanço deste primeiro semestre de 2013 e destaca sua participação no programa da Band. Revela, ainda, que seus netos costumam contar para os amigos que "a avó deles é muito rica e muito famosa".

Comandando um escritório de advocacia em São Paulo, Regina conta que faz uma advocacia diferenciada, "para poucos e bons", incluindo o ex-presidente Fernando Collor de Mello.

A socialite relembra ainda suas viagens inesquecíveis e conta os planos para o segundo semestre deste ano.

Regina Manssur : 'Moleton deixa todo mundo feio'

- Como é sua rotina de trabalho em São Paulo? Quantos clientes você possui no escritório de advocacia?

Minha rotina é uma loucura! Às 9h30 já estou no escritório e coitado de quem chegar atrasado. Tenho de 100 a 150 clientes, sendo que cada um representa uma média de vinte processos e uma infinidade de recursos  Supervisiono tudo e não sai uma linha do meu escritório que não tenha passado por mim. Sempre digo que meu escritório é um “escritório boutique”, apenas para poucos e bons. Uma advocacia diferenciada.

- O ex-presidente Fernando Collor continua sendo seu cliente? Qual sua visão sobre ele?

Fernando Collor de Mello ainda é meu cliente numa ação de pedido de indenização movida contra o Ciro Gomes. Já ganhamos em primeiro grau e estamos esperando o julgamento da apelação. Conheci o presidente na sua candidatura para a prefeitura de São Paulo e, de minha parte, em que pese as acusações, acho que ele deu sua contribuição, apresentando o Brasil para o mundo.

- A participação no reality afetou de alguma forma os negócios? Ou as pessoas souberam separar a Regina da TV e a do escritório?

Quem é meu cliente conhece meu trabalho. E todos curtiram esta aventura na qual eu pude embarcar. Principalmente porque já fiz meu nome e sou reconhecida como uma profissional correta, lutadora e briguenta que defende seus clientes com unhas e dentes. E não levo desaforo para casa. Claro que tive alguns aborrecimentos ligados à profissão por causa do programa. O mais grave foi a atitude de um juiz de um fórum regional que, em uma ação que promovi para mim mesma contra um banco, teve a ousadia de juntar um link do programa para me ridicularizar, afirmando que eu sendo rica, não deveria  reclamar das cobranças indevidas do banco. O pior é que este juiz, ao invés de julgar os inúmeros processos que tem, perdeu um tempo precioso escrevendo laudas e laudas de um ridículo atroz. Este deve ter raiva de gente rica ou não gostou da minha atuação.

- Como sua família reagiu ao longo da participação no reality? Seus filhos trabalham com você?

Tenho quatro filhos e quase dez netos. Aliás, meus netos têm o maior orgulho de mim e falam para os amiguinhos que a avó deles é muito rica e muito famosa! Meu filho mais novo, João Vinicius Manssur, é meu sócio no escritório e está se preparando para assumir a direção, caso eu resolva seguir a carreira artística. Convites não faltam e a tentação é grande.

- Durante suas férias, para onde costuma viajar?

Adoro viajar! E nem preciso de férias para isso. Quando resolvo, vou embora. Em julho vou para meu apartamento em Paris, fazer um curso na Sorbonne. Vou levar comigo minha neta, Camila, de 14 anos, que vai iniciar o estudo de francês. Paris é especial, mas adoro a Itália, talvez porque estudei no colégio Dante Alighieri e conheço bastante a história e a cultura deste país 'meraviglioso'! Aliás, vou ficar o mês de outubro inteirinho em Firenze fazendo um curso de História da Arte e de Culinária!

- Qual país que você ainda não visitou mas tem a vontade de conhecer?

A China eu tenho vontade de conhecer. O último país que estive foi o Japão, quando fui assistir o Corithians no Mundial de Interclubes e fiquei encantada com a limpeza, a grandeza do país, a educação, a gentileza e a honestidade do povo japonês. Tudo que você imagina de bom, é o Japão! Um assombro!

- É verdade que você não costuma frequentar os shoppings do Brasil?

Frequento muito pouco os shopping de São Paulo, pois trabalho muito. A verdade é que quando viajo e não tenho compromisso nem horário, aproveito para passear, ver vitrines, experimentar roupas, me antenar nas novas tendências. Enfim, fazer o que toda mulher vaidosa e rica faz. Às vezes preciso de alguma coisa com urgência. É quando entram em cena meu motorista Tony e meu assessor Jonatas, que são meus fiéis escudeiros! Eles já chegaram a comprar até calcinhas, meias e sapatos. E compraram direitinho!

- Aceitaria participar de uma nova edição do Mulheres Ricas?

Adoraria participar de Mulheres Ricas 3! Estou rezando para que isso aconteça! Como entrei tardiamente e tive problemas com o diretor, não consegui dar meu recado. Queria mostrar que mulher rica é a mulher que tem atitude, história, família e trabalho. Queria mostrar também que as mulheres de cinquenta anos podem ser lindas e glamurosas neste mundo onde se cultiva muito a juventude.

- Na TV tem algum seriado/programa que mais gosta?

Gosto muito do CQC e dos episódios de O Mundo Segundo os  Brasileiros. Tiro meu chapéu para o Diego Guebel [diretor de conteúdo da Band], que deu nova vida à emissora. E claro, uma novelinha é sempre bem vinda. Estou adorando Amor à Vida!