Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Rainer Cadete torce por romance do advogado Rafael com Paloma em 'Amor à Vida'

Intérprete do advogado Rafael, Rainer Cadete conta que já pediram seu cartão na rua. Ele comemora a boa fase em 'Amor à Vida' e torce para o personagem ganhar um amor

Kellen Rodrigues Publicado em 31/07/2013, às 11h29 - Atualizado em 27/09/2021, às 18h04

Rainer Cadete - Sergio Baia e TV Globo/Reprodução
Rainer Cadete - Sergio Baia e TV Globo/Reprodução

Rainer Cadete entrou em Amor à Vida para ser uma espécie de ‘anjo da guarda’ de Paloma (Paolla Oliveira) na luta pela guarda de Paulinha (Klara Castanho). O papel do jovem advogado Rafael marca o que o ator chama de ‘fase extremamente produtiva’ em sua carreira, além da estreia em horário nobre na Globo. “Eu saio na rua e as pessoas querem pedir meu cartão”, diverte-se o ator. “Tem os que falam de brincadeira e os que acham que sou advogado mesmo”, conta à CARAS Online.

Esta não é a primeira vez que Rainer contracena com o casal de protagonistas. Ele atuou com Paolla em Cama de Gato (2009) e interpretou o personagem de Malvino Salvador jovem em Caras e Bocas (2009), também de Walcyr Carrasco.

Enquanto o personagem enfrenta as alfinetadas do vilão Félix (Mateus Solano) por ser jovem, o ator, que ingressou no teatro aos 9 anos, não se deixa abater com algo semelhante na vida real. “Eu sou muito precoce, sempre fiz tudo muito cedo, fui pai aos 19 anos, entrei na faculdade de psicologia com 17. Essas coisas precoces já fazem parte de mim”, conta. “Preconceito por ser jovem eu nunca sofri porque sempre fui competente no que me propus a fazer, e o Rafael também, ele resolve o preconceito com competência. Isso acaba indo a favor dele”, acredita o ator, de 26 anos.

+ Amor à Vida: Félix contrata Rafael para divórcio com Edith

Para melhorar a história de seu personagem, segundo ele, só falta um amor. E bem que poderia ser a mocinha Paloma. “Até agora ele não se envolveu com ninguém na trama, mas eu acho que ele merece ficar com alguém. A Paloma é muito apaixonável, eu adoraria que acontecesse isso”, diz.

Casado com o trabalho

Em ritmo intenso de gravações de Amor à Vida, Rainer diz que está ‘casado com o trabalho’. “Estou solteiro, casado com o trabalho e é um casamento mesmo”, brinca.  Durante o mês de julho ele contou com a companhia de um fã especial no Rio de Janeiro, o filho Pietro, de seis anos, que mora em Brasília com a mãe, ex-mulher do ator. “Ele consegue ver a novela, adora, fala pra todo mundo que o pai está na novela. Ele dança a música da Valdirene (Tatá Werneck)”, conta orgulhoso.

Enquanto se dedica ao advogado Rafael, Rainer já trabalha em outros projetos, como o festival em comemoração ao centenário de Vinícius de Moraes, que será realizado em outubro, em Brasília, e contará com shows de Ellen Oléria e Maria Gadú, duas amigas pessoais do ator. “Dentro desse projeto vou fazer uma peça que se chama Cordélia e o Peregrino”, antecipa. Em breve ele poderá ser visto também nos cinemas na comédia Cine Holliúdy, do diretor Halder Gomes. Com tanto trabalho, ele precisou adiar a conclusão do curso de psicologia. “Falta fazer o estágio obrigatório, espero conseguir concluir um dia”.

A Sétima Canção

Nem quando enfrentou um problema de saúde e precisou ficar de repouso em Brasília o ator sossegou. Ele aproveitou o período em que se recuperava de uma cirurgia para compor uma música, cujo clipe foi lançado no Youtube. “Estou em uma fase extremamente produtiva. Passei um ano me recuperando, mas não consegui ficar quieto, comecei a compor. A música veio na cabeça. Eu cantava na igreja quando era pequeno, mas não tenho a pretensão de ser cantor”, diz. “A música fala de traição de uma forma debochada e tem uma brincadeira com o número sete. Escolhi esse tema porque a gente sempre escuta alguém reclamando que sofreu traição e às vezes também passa por situações assim na vida. Acho um tema bem interessante para se falar”.

E o que Rainer espera do futuro? As metas são ambiciosas. “Eu sonho ter uma carreira muito grande, longa. Não só na TV, mas no teatro, no cinema.. Quero provocar as pessoas, que a minha arte tenha conteúdo. Tenho isso, de quando uma pessoa passar por mim, quero deixar alguma coisa boa, porque a vida é tão dura. Sou muito grato ao universo por tudo que ele me dá, então procuro sorrir e ser carinhoso com as pessoas”.