Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Padre Juarez de Castro fala sobre desejos sexuais: "O fato de ser padre não me tira todos os desejos"

Juarez também revelou que costuma sonhar com mulheres: "Não é pecado"

CARAS Digital Publicado em 03/06/2016, às 13h43 - Atualizado às 21h02

Padre Juarez de Castro participa do Programa Raul Gil - Rodrigo Belentani/SBT
Padre Juarez de Castro participa do Programa Raul Gil - Rodrigo Belentani/SBT

Padre Juarez de Castro será o convidado do Programa Raul Gil neste sábado, 4, no SBT.

Durante o quadro Elas Querem Saber, o padre fez revelações sobre seus desejos sexuais e o sexo dentro do matrimônio. "O fato de ser padre não me tira todos os desejos. O padre para ser padre não pode ser desprovido dos desejos daquilo que lhe faz homem. A sexualidade é muito natural. Deus fez o sexo, Deus fez a sexualidade. O casamento só é casamento quando ele acontece na sexualidade", explicou Juarez.

O padre também contou que tais desejos não são um peso em sua vida. "No dia que isso for um peso para mim, eu tenho que ser honesto comigo e falar que não aguento mais. Eu nunca pensei em desistir, pois quando eu estudei para ser padre, foi muito difícil. Quando eu pensei em ser padre, minha família foi muito contra", contou.

Questionado se costumava sonhar com mulheres, Castro disse que isto não era pecado. "Claro, a gente sonha. Não é pecado, o que é pecado? A gente não é só criado com o pecado, é criado com a culpa. O que é pior! A gente tem culpa de tudo. Esse é o grande problema da religiosidade. O que é pecado? O pecado, para acontecer, você tem que ter liberdade plena para realizar o pecado. Eu tenho liberdade para escolher ou não para fazer aquilo, mas eu escolho fazer. Tenho que ter consciência", afirmou.

Juarez deu ainda sua opinião sobre a presença dos homossexuais dentro da igreja. "A Igreja nunca teve uma postura intolerante e nem preconceituosa em relação ao homossexual, pois nós não somos dono de consciências. A gente não pode dizer: se você é homossexual, você é errado", completou.