Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

No ar em Chiquititas, Paulo Leal já atuou em “Rebelde” e em novela na Angola

O ator começou a atuar ainda na adolescência, em uma peça de Ariano Suassuna. Lá, ele descobriu sua paixão: "“A vontade de me comunicar sempre existiu. Até porque, nunca fui do tipo tímido ou quietão”

CARAS Digital Publicado em 28/07/2014, às 15h58 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Paulo Leal - Divulgação
Paulo Leal - Divulgação

O ator Paulo Leal, que vive o Doutor Fernando da novela do SBT "Chiquititas" ganhou experiência em tramas para o público adolescente. Ele também participou de outro sucesso da Tv, a telenovela “Rebelde”, exibido pela Record em 2012. “Trabalhar pra esse público é receber doses gigantes de carinho diariamente. É lindo ver como eles não criticam (no sentido de julgar uma trama)”.

Paulo, que tem 29 anos, começou a atuar ainda na adolescência, meio por acaso. Ele foi convidado por uma professora para participar de“O Auto da Compadecida”, peça de Ariano Suassuna, interpretando João Grilo, um dos protagonistas da história. Mas antes dessa estreia, ele lembra que já alimentava esta paixão pelos palcos: “A vontade de me comunicar, mostrar algo, para um grupo maior, sempre existiu. Até porque, nunca fui do tipo tímido ou quietão”. Depois da peça, Leal foi premiado no Festival Amador de Teatro do Rio Grande do Sul, ingressou na Companhia Teatral Regina Teixeira e então na Stella Adler Studio of Acting, em Nova York.

Após experiências no cinema, na televisão e no teatro, Paulo não consegue escolher o que mais o atrai: “Prefiro sempre a personagem e o seu universo, independente do veículo. Claro que cada um tem os seus desafios, prazeres e encantos mas, na realidade, atuar, seja aonde for, sempre vai servir para que eu possa acrescentar mais e mais ferramentas na minha bagagem”.

O ator também passou por produções em outros países, como uma novela em Angola, e comenta as diferenças entre atuar no Brasil e em outros lugares: “É outro ritmo!”