Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Nicette Bruno conta que sua mãe largou a medicina após vê-la atuar

Nicette Bruno conta que sua mãe largou a medicina para ser atriz após vê-la atuar e fala sobre envelhecimento: "Se você, com 80 anos, quiser ter aparência de 40, vai sofrer um bocadinho"

CARAS Digital Publicado em 05/08/2014, às 11h11 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Nicette Bruno - Divulgação
Nicette Bruno - Divulgação

Nicette Bruno é a estrela do programa Damas da TV (Viva), que será exibido no dia 15 de agosto. Aos 81 anos, a atriz começou a carreira artística aos 5, declamando textos e tocando piano na Rádio Guanabara.

"Com 14 anos fiz teste para a Cia. de Teatro de Dulcina de Moraes, passei, e ela me fez um alerta que sempre me norteou: ‘Duas paralelas vão seguir sua carreira: o fracasso e o sucesso. Receba o fracasso com segurança e firmeza para que possa suportar o sucesso, assim ele jamais vai lhe subir a cabeça’", contou. "Mantenho humildade e sabedoria, porque a nossa profissão é um eterno aprendizado", observa a atriz, que participou das primeiras novelas vespertinas e programas produzidos pela TV Tupi, na década de 1950.

Durante a entrevista, Nicette disse ainda acreditar no poder transformador de seu trabalho. "O fundamental do nosso trabalho é fazer com que o espectador saia do seu mundo real, entre na história que é apresentada, tenha aquele momento de ilusão, de integração, muitas vezes para se modificar", afirmou, ressaltando a importância da experiência.

"Na nossa profissão, quanto mais velhos ficamos, mais experientes somos. Se você, com 80 anos, quiser ter a aparência de 40, aí vai sofrer um bocadinho. Você tem que fazer exercícios para aguentar o tranco, ter cuidado com a alimentação para ter uma pele boa, e ser agradável com as pessoas ao seu redor. Não reclamar: enfrentar os desafios com força e segurança. E ter fé, seja no que for", ensinou.

Nicette faz uma reverência à família, especialmente à mãe, a médica Eleonor Bruno. De tanto incentivar a filha, ela se apaixonou pela arte de atuar e acabou largando a profissão. "Mamãe foi uma mulher muito bonita, com grande carisma e uma bela voz. Acabou aceitando um convite de Dulcina e atuando em nossa companhia teatral. Depois de várias peças e novelas, participou de uma trama que deu uma virada no conceito de modernidade: Beto Rockfeller. Ela sempre viveu comigo e me ajudou a cuidar dos meus três filhos", conta Nicette, que foi casada durante 60 anos com o ator Paulo Goulart, que morreu este ano.