Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Murilo Rosa relembra drama com o filho perdido em Nova York

O pai de Artur, fruto de seu casamento com Fernanda Tavares, contou sobre o dia em que o filho se perdeu em um passeio da escola

CARAS Digital Publicado em 15/07/2015, às 15h23 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Murilo Rosa - TV Globo/Reprodução
Murilo Rosa - TV Globo/Reprodução

Murilo Rosa participou do programa Encontro com Fátima Bernardes desta quarta-feira, 15, e relembrou o drama que passou com o filho perdido em Nova York, nos Estados Unidos.

Durante um passeio pela escola a um parque da cidade, Artur, então com dois anos e meio, se dispersou do grupo e quase foi atropelado por um carro.

"A Fernanda [Tavares] foi trabalhar nos Estados Unidos, e fomos todos. Lá na escola eles têm um costume de sair com as crianças para passear nos parques daquela região e, nesse dia, o Artur estava brincando e fugiu do parque. Ele foi encontrado por uma mulher que freou o carro na hora que ele ia atravessar a rua. Ele tinha 2 anos e meio. Ela o pegou e, como tinha o nome da escola na camisa, ela foi para o parquinho e viu que as professoras, naquele momento, não tinham percebido que ele tinha saído de lá. Essa mulher ficou revoltada e não entregou o Artur para as professoras. Ela foi até a escola e ameaçou chamar a polícia e, por isso, ligaram para a gente. As duas professoras, que foram demitidas depois do caso, estavam em estado de choque, não conseguiam falar comigo", contou o ator durante o programa global.

Murilo explicou que ele e Fernanda conseguiram identificar a mulher que resgatou o filho e que eles são "muito amigos" até hoje. "Ela acredita muito em Deus e em proteção divina. O pai dela, que faleceu em dezembro, se chamava Artur", afirmou o marido de Fernanda Tavares sobre a coincidência dos nomes.

Segundo Murilo, o caso recebeu um tratamento severo das autoridades locais -- a escola chegou a ser fechada durante as investigações. "No dia seguinte, recebemos um telefonema de uma inspetora. No outro dia era a festa de Dia dos Pais na escola, e eu ia com meu filho para terminar o ciclo numa energia positiva, mas não deu tempo, pois a escola foi fechada para investigação. Mas a gente recebeu um e-mail maravilhoso da professora e marcamos um café. O Artur a adora, eles se encontraram e foi um final feliz. Mas é uma coisa gravíssima. Alguns erros podem mudar uma vida", explicou.

O casal também é pai de Lucas, de 7 anos.