Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
TV / Exclusivo!

Mouhamed Harfouch fala sobre espetáculo online: ''Desafiador em todos os sentidos''

Mouhamed Harfouch fala sobre monólogo online sobre um homem isolado pelo coronavírus

CARAS Digital Publicado em 20/08/2020, às 14h20 - Atualizado às 14h49

Mouhamed Harfouch - Sergio Santoian
Mouhamed Harfouch - Sergio Santoian

O atorMouhamed Harfouch está se reinventando durante o isolamento social.

Em conversa exclusiva com a CARAS Digital, o artista falou sobre seu espetáculo online e também falou sobre a rotina ao lado da família.

Confira a entrevista completa:

Como tem sido seu isolamento social em família?

Tem sido de aprendizado, resiliência, reinvenção e muito, muito, muito trabalho!

Que tipo de atividades tem feito com seus filhos nesse tempo?

Com dois filhos pequenos e cheios de energia, toda sorte de brincadeira é bem-vinda. O lance complica na hora de administrar nossa vida profissional, a casa e a demanda deles, que não param. E toda hora demanda, nos revezamos eu e Clarissa para suprir. Já fiz de um tudo, desde aulas de Crossfit para eles até uma escola fictícia onde tinham aula de leitura, pintura e música, cabanas, parte gastronômica e tudo o mais. Confesso que já estou ficando sem ideias (risos).

Como é Mouhamed Harfouch dono de casa? Descobriu algum talento nesse período? Qual?

Gosto de cuidar da casa. Adoro varrer, lavar louça e cuidar do ambiente. Descobri que tenho jeito para cortar cabelo, já cortei o do Bento umas 3 vezes, sob olhar atento da Clarissa doida para me reprovar, mas não conseguiu! (risos) E já cortei o meu também... bem difícil, mas gostei. Mandei para meu cabeleireiro e ele aprovou! Voltei a escrever e a produzir meu próprio monólogo. Reinventar e resistir são as palavras de ordem. 

Mesmo em casa, você está com um monólogo online, criado na quarentena e sobre um homem isolado pelo Covid19. Fale desse projeto.

Este projeto nasceu há 7 anos, e era um texto que me foi apresentado pelo Moises chamado: Quero minha mulher de volta. Quando li, disse que tinha vontade de falar sobre a paternidade, sobre o homem contemporâneo e sugeri reescrevermos a peça mantendo a personagem. E assim o fizemos e segurei Homem de Lata como nome. Acontece que nunca achei que o texto estivesse realmente acabado. Quando surgiu a pandemia, vimos o estado de necessidade ideal para que a personagem estivesse crivelmente reclusa e pudesse reavaliar sua vida. E assim foi! Confesso que esta é de longe a melhor versão e 'Homem de Lata" nasceu na hora certa. Tenho orgulho desta investigação de linguagem e de poder resistir fazendo teatro e levando arte e diversão aos que estão impossibilitados de sair neste momento. Homem de lata também tem a finalidade de ajudar aos profissionais do teatro que estão desassistidos por conta dos teatros fechados. Sempre destinamos parte da renda para doação à APTR que tem um trabalho lindo de suporte a estes profissionais. 

Como é ensaiar e atuar num espetáculo online, trancado em casa, com a família?

É desafiador em todos os sentidos. Me virei em 10 para dar conta da casa, dos filhos, dos desafios desta nova vida e ainda escrever, produzir e atuar neste projeto, mas faria tudo de novo. Esse projeto me resgatou, me trouxe o sol de volta e me fez testar meus limites e sobreviver com arte. Escrevia nos momentos em que a casa dormia, as 6:00 da manhã, ensaiava depois de botar os filhos para dormirem, às 21:30 até 0:00...ou seja dormia uma média de quatro a cinco horas. Mas cheguei a uma conclusão: Amo escrever pela manhã bem cedo. As ideias estão frescas, a cabeça vazia de problemas e estou mais conectado comigo. Foi delicioso! Os ensaios me surpreenderam, hoje quando olho para trás não sinto que o João estava na sua casa e eu na minha, penso que estávamos juntos! Foi muito bacana, muito presente embora distante. 

O cenário da peça é sua casa. Precisou fazer alguma modificação para adequar o espaço?

Fiz várias! Decorei o quarto para o espetáculo, criamos placas e ambientes que justificassem a jornada de Marcão. Me sentia numa gincana tentando solucionar problemas...era tudo online, ontime e fulltime! (risos)

Pretende, depois que a pandemia passar, levar esse projeto aos palcos ou ele é apenas para a internet?

Não pensamos em outra coisa. Já tivemos essa conversa e esse é o sonho de toda equipe!

Homem de lata é um texto seu com Moisés Liporage. Criou (ou está criando) outros projetos nesse período?

Não tenho mais condições... compus uma música e escrevi e montei uma peça. Mais que isso, minha família me expulsas de casa. (risos)

Você ficou entre os finalistas de Popstar em 2018 e em Homem de lata você canta e toca violão. Como estão seus planos musicais? Teremos alguma live nesse período?

Essa live está prometida aos fás que me pedem desde o início da quarentena. E vou fazer! Lancei o Single  “Lente aberta” no começo da Quarentena e vou fazer uma live! Promessa é dívida! Mas por enquanto, as lives são todas do Marcão personagem de Homem de Lata!

Quais as suas perspectivas em relação à arte nos próximos tempos?

Resistir nos prepararmos com projetos e sonhos para depois da tempestade porque ela vai passar!

Receba notícias da CARAS Brasil no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!