Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
TV / Saudades!

Mônica Martelli chora ao falar de Paulo Gustavo e desabafa sobre luto: ''Não tem aceitação''

Em 'Conversa com Bial', atriz Mônica Martelli chora ao falar sobre amizade com Paulo Gustavo e diz que não superou a morte do humorista

CARAS Digital Publicado em 14/06/2022, às 10h52

Mônica Martelli chora ao falar sobre amizade com Paulo Gustavo durante o 'Conversa com Bial' - Foto/Instagram
Mônica Martelli chora ao falar sobre amizade com Paulo Gustavo durante o 'Conversa com Bial' - Foto/Instagram

Mônica Martelli (54) afirmou que nunca irá superar a morte de Paulo Gustavo (1978-2021). A atriz, amiga de longa data do humorista, contou que, mesmo após um ano a morte do artista, ela ainda não conseguiu superar a dor da perda.

Mônica Martelli chora ao falar sobre amizade com Paulo Gustavo durante o 'Conversa com Bial':

Durante o Conversa com Bial (TV Globo), desta terça-feira, 14, ela se emocionou ao relembrar do humorista: “O luto é uma coisa muito louca porque são várias fases, que eu já conhecia, mas é totalmente instável. Não tem aceitação! Quando alguém pergunta se eu sinto muita saudade, eu falo que saudade é uma palavra que não dá conta para o que eu sinto, é pouco, é uma falta diária daquela pessoa que te ligava o dia inteiro”, iniciou.

“Ele opinava muito na minha vida, Paulo Gustavo interferia diretamente na minha vida. Todas as dúvidas que eu tinha, se fazia um programa ou não... Eu confiava na cabeça dele, na visão que ele tinha de mundo. Ele era muito inteligente”, detalhou ela.

Mônica Martelli fala sobre continuação de 'Minha Vida Em Marte':

No bate papo, a produtora também falou sobre o filme Minha Vida Em Marte(2018), que protagonizou ao lado do ator e disse que acabou deixando a comédia romântica de lado após a partida do amigo, cogitando a possibilidade de abandonar totalmente o roteiro, mas mudou de ideia e decidiu se dedicar a continuação do longa.

“A minha vida foi pautada em tudo que eu faço e vivo, eu faço essa doação. É uma forma de eu me curar, botar para fora. A peça ‘Minha Vida Em Marte’ é a minha separação, coloquei ali toda a minha dor e todo o meu sofrimento. Tudo que eu passo na minha vida, eu escrevo. Vou escrever esse luto.”, explicou.