Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

A atriz Irene Ravache revê sua carreira nas telenovelas

Irene Ravache revela que foi demitida de uma novela no início de sua carreira e fala sobre sua trajetória profissional

CARAS Online Publicado em 25/11/2013, às 15h25 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Irene Ravache - Viva / Divulgação
Irene Ravache - Viva / Divulgação

Uma das mais talentosas e reconhecidas atrizes brasileiras, Irene Ravache surpreendeu ao contar que foi demitida de uma novela nos primeiros anos de sua carreira. A atriz falou sobre o assunto em entrevista ao programa Damas da TV, do Canal Viva, que vai ao ar na quarta-feira, 27.

Irene foi mandada embora da TV Excelsior pelo rígido diretor Walter Avancini. "Eu fazia a novela O Grande Segredo. A Íris Bruzzi me dizia para ficar quieta, para não falar muito, mas eu estava injuriada com o Avancini e respondi. Ele ligou para o autor da novela, Marcos Rey, e falou que teriam que acabar com o papel daquela carioca", lembra.

A atriz contou ainda que mesmo depois de colecionar personagens muitos diferentes e estar estabilizada na profissão, sentiu frio na barriga quando foi convidada para fazer Charlô, de Guerra dos Sexos, personagem interpretado por Fernanda Montenegro na primeira versão do folhetim.

"Quando falaram que eu ia fazer a novela, foi uma alegria e um susto. Interpretar o papel que foi da Fernanda era uma responsabilidade porque algumas atrizes são definitivas, ela pode fazer o que quiser", relembrou.

Um dos momentos mais marcantes da carreira da atriz foi a indicação ao Prêmio Emmy por sua atuação em Eterna Magia (2007).  "Fiquei muito feliz porque é uma novela das 18h, onde fui lindamente dirigida pelo Ulysses Cruz. Vou dizer que não fiquei contente por ser indicada a um prêmio internacional? Lógico que fiquei", confessou.

Irene também revelou que seu primeiro desejo de infância era de seguir carreira como bailarina, mas que desistiu ao assistir sua primeira peça de teatro. "Eu não pensava em fazer telenovela porque sou daquela época em que franzíamos o nariz para isso. Nós fazíamos teatro, telenovela era considerada uma coisa menor, mas fui atrás. Tinha acabado de ter meu primeiro filho e precisava trabalhar", afirmou.

Um dos personagens mais queridos da atriz é a grega Katina, de Belíssima, em que vivia a esposa do personagem de Lima Duarte, o turco Murat. "Nessa novela fui mãe de Claudia Raia e, quando soube disso, logo pensei que precisava de um decote!", brinca. E continua: "Sempre que encontro o Lima, digo a ele: 'te ofereço casa, comida e roupa lavada'. Ele é fantástico".

Ao avaliar sua trajetória, ela comenta que a maturidade a deixou um pouco mais tranquila, mas que mantém o olhar curioso em relação ao mundo. "Hoje, com 68 anos, não sou só a Irene Yolanda, sou todas as personagens. Porque aprendi muito com essas mulheres. Você nunca mais é a mesma depois que faz uma personagem", finalizou.