Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Gloria Perez diz que foi chamada de ‘louca e fantasiosa’ muito antes de 'Salve Jorge'

Gloria Perez contou que foi chamada de 'fantasiosa e louca' por falar sobre internet em 'Explode Coração'. No dia do último capítulo de 'Salve Jorge', a escritora rebate críticas à novela e defende Nanda Costa

Redação Publicado em 17/05/2013, às 08h54 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Nanda Costa e Gloria Perez - TV Globo
Nanda Costa e Gloria Perez - TV Globo

Em clima de despedida de Salve Jorge a escritora Gloria Perez participou do programa Mais Você desta sexta-feira, 17. Ao lado dos diretores Marcos Schachtman e Fred Mayrinc, ela assistiu trechos de suas novelas antigas e contou a Ana Maria Braga que recebeu críticas quando falou sobre internet na novela Explode Coração, em 1995. "Fui chamada de fantasiosa e louca", disse. A trama protagonizada por Edson Celulari e Teresa Seiblitz abordava também o desaparecimento de crianças.

Em Salve Jorge, Gloria também teve de encarar críticas e chegou a declarar no Twitter que as pessoas não sabia 'voar'. Ela falou ainda sobre as críticas à protagonista Nanda Costa. "Acho que houve uma campanha muito estranha contra a novela. Um mês antes já tinha crítica pronta", desabafa. "A Nanda não era uma iniciante, era uma atriz premiada aqui e lá fora. Eu não tinha a menor dúvida que ela era a pessoa para o papel. Ela não era uma aposta, era tiro certo".

Relembre os melhores momentos da novela 'Salve Jorge'

Elenco de 'Salve Jorge' grava últimas cenas da novela

Confira as cinco tendências de 'Salve Jorge' que conquistaram o público

A autora falou ainda como surgiu o tema para a novela. "Meus temas surgem muito de notícias de jornal, de ler jornal. Me dei conta que passava por cartazes no aeroporto onde a polícia dizia 'cuidado com tráfico humano' e as pessoas não viam. Vi que era um crime invisível e cometido com pessoas invisíveis também, geralmente pobres, que não vão para as páginas do jornal. Então na minha linha de tirar debaixo de tapete e dar a voz a quem não tem, pensei 'vou falar disso'.