Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
TV / Exclusiva

Gabi Lopes fala sobre infância, carreira e parceria com Luana Piovani: ''Um amor''

Em entrevista exclusiva para CARAS Digital, a atriz Gabi Lopes contou um pouco sobre sua infância, carreira e novo filme

Carolina Leal Publicado em 30/08/2019, às 16h49 - Atualizado às 17h09

Gabi Lopes - Reprodução/Instagram
Gabi Lopes - Reprodução/Instagram

A atriz e modelo Gabi Lopes, que está no elenco da comédia A Mulher do Meu Marido, ao lado de Luana Piovani e Paulo Tiefenthaler, concedeu a CARAS Digital uma entrevista exclusiva, onde falou sobre sua infância, carreira e o novo filme.

A ruiva, de 25 anos, começou sua carreira com apenas oito anos, e desde então não saiu mais das telinhas. Apesar de ter começado cedo, ela assegura que o trabalho não interferiu em sua infância. "Eu sinto que eu nasci atriz. Desde criança minhas brincadeiras sempre foram voltadas para isso e quando meus pais tiveram um pouco de condições eles me colocaram em um curso de teatro", explicou.

"Eu acho que não interferiu porque a minha brincadeira era atuar. Eu não era uma criança que ficasse triste e de vez em quando ia trabalhar, eu era uma criança que ficava triste se não tivesse trabalho. Minha infância foi muito relacionada ao trabalho, mas de um jeito divertido e saudável", finalizou a modelo.

Atualmente, Gabi está no ar no longa A Mulher do Meu Marido, questionada sobre como surgiu a oportunidade de atuar na obra de Marcelo Santiago, ela desabafou: "Eu estava em uma viagem na Tailândia e meu celular tocou. Era o diretor do último filme que eu participei, O Último Virgem, me indicando para o filme. Eu fiquei muito feliz."

As filmagens do novo projeto duraram um mês, mas o elenco começou a preparação, leitura do roteiro e caracterização um mês antes. Segundo a musa, o maior desafio era não rir. "A minha personagem não estava achando graça da história, para ela é tudo muito triste, aquela menina super família ver os pais se traindo. Então, para mim, era olhar para a cara da Luana e do Paulo, que são dois palhaços, e não dar risada", revelou.

Ao lado de Piovani, Gabi falou sobre a experiência de atuar com alguém tão experiente. "Foi maravilhoso e uma coisa que eu preciso muito ressaltar é o quão generosa ela foi comigo, como ser humano e profissional. Você entra no filme com pais que são atores consagrados e você é uma atriz, digamos que iniciante perto deles. Sem dúvida eu cheguei super receosa, mas eles quebraram o gelo na hora e me ajudaram muito. A Luana é um amor, um ser humano incrível."  

A musa ressaltou que se identificou com a personagem. No filme, ela vive Paulinha, umatípica jovem com a pulga atrás da orelha:"Me identifico com ela nessa coisa da curiosidade. Eu sou muito curiosa e ela é meio com a pulga atrás da orelha, quando a pessoa não desiste até ela descobrir, sou bem assim. Acho que a gente se conecta nesse lugar", iniciou.

"Eu também tenho um lado meu muito menina, apesar de ter 25 anos, empresas e coisas para fazer. Tenho um lado meu muito menina que chego em casa e fico pulando na cama, então acho que todos somos Paulinha dentro da gente".

Para finalizar o bate-papo, a atriz explicou a diferença entre os personagens de seriado, telenovela e cinema. "Prefiro atuar onde tiver oportunidade, mas o que difere os dois é que os filmes são obras fechadas, geralmente, você recebe o ele completo, início, meio e fim enquanto obras seriadas ou telenovelas são abertas então para a criação de personagem é um pouco complexo até porque, querendo ou não, o seu personagem pode mudar. Logo, eu gosto muito de trabalhar em cinema. Eu sempre gostei. A sétima arte, meu número da sorte e sem dúvidas uma das artes que eu mais admiro", concluiu ela.