Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Elke Maravilha agradece ao Brasil por ter recebido sua família que fugia da Rússia

Ex-modelo relembrou passado em que família era refugiada política e abriu o coração: 'Fomos muito bem recebidos'

CARAS Digital Publicado em 17/11/2015, às 11h19 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Elke Maravilha no 'Encontro' - Reprodução TV Globo
Elke Maravilha no 'Encontro' - Reprodução TV Globo

Uma das personalidades mais amadas da TV brasileira,  Elke Maravilha esteve no Encontro com Fátima Bernardes desta terça-feira, 17, e relembrou o passado de sua família. Eles vieram ao Brasil como refugiados políticos do stalinismo.

+ Elke Maravilha, Berta Loran e Vilma Nascimento apresentarão novo quadro do 'Fantástico'

"Meu pai, minha mãe e meus avós paternos vieram da Rússia [na época, União Soviética] para Itabira em Minas Gerais", revelou.

"Meu pai era prisioneiro político na Sibéria. Veio a famosa Guerra das Neves e ele lutou como guerrilheiro na Finlândia", contou a ex-modelo. "Meu pai achava uma covardia, não tinha sangue finlandês, mas era pela justiça. A Finlândia venceu a guerra, mas em consequência, quem sobreviveu foi preso nos campos de concentração na época de Stalin", completou.

"Fui muito bem recebida e foi um privilégio porque tivemos a oportunidade de começar a vida no meio dos negros brasileiros e isso nos adoçou", disse a eterna jurada do programa Silvio Santos.