CARAS Brasil
Busca
Facebook CARAS BrasilTwitter CARAS BrasilInstagram CARAS BrasilYoutube CARAS BrasilTiktok CARAS BrasilSpotify CARAS Brasil
TV / Bastidores

Cadê Maju e Poliana? Fantástico é comandado por outra apresentadora

Maju Coutinho e Poliana Abritta são substituídas por outra jornalista da TV Globo no Fantástico deste domingo, 7. Saiba o que aconteceu

por Priscilla Comoti

pcomoti_colab@caras.com.br

Publicado em 07/07/2024, às 19h47

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Maju Coutinho e Poliana Abritta - Foto: Reprodução / Globo
Maju Coutinho e Poliana Abritta - Foto: Reprodução / Globo

As apresentadoras Maju Coutinho e Poliana Abritta ficaram longe do programa Fantástico, da Globo, neste domingo, 7. As duas foram substituídas pela apresentadora Ana Paula Araujo e o motivo veio à tona. Saiba o que aconteceu:

De acordo com o site Splash UOL, Poliana iria comandar a edição deste domingo do Fantástico, mas foi substituída às pressas por Ana Paula. Isso porque o sogro dela faleceu neste final de semana. Com o luto na família, ela decidiu se afastar da atração para apoiar seu marido, o jornalista Chico Walcacer.

Por sua vez, Maju Coutinho está longe do Brasil. Ela está na África para a gravação de uma série especial. O embarque aconteceu na semana passada e ela ainda retornou do trabalho no exterior. Com isso, Maju só volta ao Fantástico no dia 21 de julho.

Nas redes sociais, Ana Paula Araujo comemorou o desafio de comandar o Fantástico. “Juntos nesse fim de semana. Espero todo mundo amanhã no Show da Vida”, afirmou ela no Instagram.

Samuel Rosa no Fantástico

O cantor Samuel Rosa está em uma nova fase de sua carreira musical. Depois do fim da banda Skank, ele gravou o seu primeiro projeto solo e apresentou os detalhes em entrevista no Fantástico, da Globo.

O novo álbum dele tem 10 músicas inéditas e criada por ele, que está feliz com a sensação de novidade na vida profissional.

"Eu sinto um momento totalmente novo, que eu sinto aquele sopro, aquele arroubo de juventude, de começar e tal, que óbvio, no Skank, com 30 anos, isso era mais raro, apesar de ter sido uma convivência maravilhosa. Mas tenho também, não posso negar, uma bagagem de três décadas. Eu acho que esse disco é um disco mais autorreferente, é um disco de autoafirmação, daí o nome Rosa. E espero fazer dessas músicas inéditas também canções conhecidas do público", disse ele.