Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
TV / SEM RESPOSTA

Atriz de Anjo Mau teve morte trágica após viver personagem real na Globo

Investigações envolvendo a morte da atriz Ariclê Perez, destaque de Anjo Mau, deixou admiradores chocados

por Surenã Dias

sdias_colab@caras.com.br

Publicado em 17/08/2023, às 06h30

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Ariclê Perez fez parte de grandes sucessos da TV Globo, como Anjo Mau - Foto: Reprodução/TV Globo
Ariclê Perez fez parte de grandes sucessos da TV Globo, como Anjo Mau - Foto: Reprodução/TV Globo

A história da atriz Ariclê Perez (1967-2006), a eterna Elizinha da novela Anjo Mau, ainda hoje choca muitas pessoas que admiravam sua carreira de sucesso na televisão. A artista morreu de maneira trágica após representar Júlia Kubitschek, na série JK, da TV Globo. 

Em 2006, a veterana da televisão brasileira morreu aos 62 anos, depois de cair do 10º de seu apartamento, no bairro de Higienópolis, em São Paulo. O corpo da atriz foi encontrado por testemunhas na porta da garagem do prédio. 

Através de investigações, foi revelado que pouco antes de sua morte, Ariclê deixou um bilhete com o porteiro, o qual contava telefones de familiares "para qualquer eventualidade". Além disso, a perícia encontrou remédios antidepressivos em seu apartamento.

Em depoimento à polícia, a irmã da artista revelou que ela enfrentava uma depressão severa e apresentava comportamentos melancólicos, o que levou o órgão de segurança a descartar a hipótese de queda acidental. Ao finalizar a investigação, foi constatado que a morte foi causada por suicídio. 

Na época, a morte da atriz  acabou gerando um grande impacto entre a cena artística nacional, visto que o caso aconteceu dois dias após o final de JK, na TV Globo. No último capítulo da trama, a personagem de Ariclê aparece em um flashback do protagonista, vivido por José Wilker.

Leia também: Caso assustador envolvendo Xuxa e Letícia Spiller terminou em três mortes; relembre

Ariclê era viúva do diretor de teatro Flávio Rangel. Ela estreou nos palcos em 1967 com a peça Electra e esteve no elenco da primeira montagem brasileira do clássico internacional Hair.

Além de JK e Anjo Mau, a artista também apareceu em outros sucessos da emissora carioca, como Como Salvar Meu Casamento, Meu Bem, Meu Mal, Memorial de Maria Moura, Salsa e Merengue, Sandy & Junior e A Casa das Sete Mulheres.