Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Aos 16 anos, Brenda Sabryna comenta cenas quentes com Bruno Gagliasso: 'Fiquei desesperada'

A atriz vive um romance com o serial killer Edu em Dupla Identidade. 'A cena mais difícil foi a primeira vez deles. Fiquei desesperada porque não sabia como ia ser, mas foi muito tranquilo', conta

Kellen Rodrigues Publicado em 05/11/2014, às 15h47 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Brenda Sabryna - Gabriel Popó/Divulgação
Brenda Sabryna - Gabriel Popó/Divulgação

O papel da rebelde Tati na série Dupla Identidade não poderia ser mais perfeito para Brenda Sabryna. Fã de filmes de terror, a atriz chega para viver um romance cheio de perigo com o serial killer Edu, interpretado por Bruno Gagliasso.

A personagem é filha do policial Dias (Marcello Novaes), que vive à caça do assassino, e Celina (Dedina Bernadelli). "O Dias é viciado em trabalho e não tem tempo para a família. Ela sente falta da presença dele", explica a atriz à CARAS Digital. Em sua estreia no seriado, que foi ao ar no episódio da última sexta-feira, Tati fica furiosa quando o pai perde sua apresentação de balé e resolve ir tirar satisfações na delegacia. É lá que conhece Edu. "Ela fica apaixonada por ele e eles começam a ter um romance. O Edu não ama ninguém, mas faz ela acreditar que a ama", conta Brenda. "Ela gosta muito dele porque consegue sentir um certo perigo nele. Ela gosta dessas coisas mórbidas", explica.

Mas engana-se quem pensa que Tati é uma menina boazinha. "Ela é meio má, tem uns surtos com a mãe que dá pena. Coloca umas minhocas na cabeça da mãe, ela é grossa e estúpida", conta.

Parceria com Bruno

Dupla Identidade é o segundo trabalho na carreira da jovem atriz, de apenas 16 anos. Ela começou no elenco de apoio em Malhação no ano passado. Para dar conta do recado, ela conta com a parceria de Bruno Gagliasso. "O Bruno é uma ótima pessoa, parceiro, tenta me deixar o mais confortável possível. Ele tenta me ajudar, então não fico muito nervosa", disse.

Brenda teve cenas quentes com o ator ao longo das gravações, já encerradas. "A mais difícil foi a cena da primeira vez dela com ele. Fiquei muito desesperada porque não sabia como ia ser, mas foi muito tranquilo", conta. "A gente vai ganhando intimidade, você vai tendo mais contato com o ator, estamos sempre brincando. Fiquei com vergonha só antes de saber como seria", continua.

A atriz, que estuda teatro na Escola de Atores Wolf Maia, conseguiu o papel na trama escrita por Glória Perez através de um teste. "Fico muito tranquila em testes. Quando fui fazer para Dupla Identidade recebi o texto duas horas antes de começar a gravar. Decorei e fui na fé", lembra. "O Bruno me deu uma dica que é para não ficar presa ao texto, isso estraga uma cena porque fica falso. Tem que dar nuances diferentes, se fizer exatamente decorado vai sair falso", diz.

Frequentando o segundo ano do ensino médio, ela sonha alto e garante que a carreira na vida artística está apenas começando. Quando questionada quais são suas metas, Brenda não pensa duas vezes. "Hollywood. Vamos sonhar o mais alto que a gente pode", afirma. "Meu sonho é fazer filme de terror. Eu acho que na série tinha que ter mais sangue", confessa.

As ambições da atriz, que nasceu em Honduras e mudou para o Brasil com quatro anos, não terminam por aí. "Tem que ter plano B para poder se sustentar. Sempre quis ir para a Juilliard", conta, referindo-se a famosa escola de música e artes cênicas de Nova York.