Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
TV / Bastidores

Ana Hickmann revela detalhes do dia da agressão: 'Fiquei com medo dele'

No Domingo Espetacular, Ana Hickmann conta tudo o que viveu ao ser agredida pelo marido, Alexandre Correa, na casa deles em Itu, no interior de São Paulo

por Priscilla Comoti

pcomoti_colab@caras.com.br

Publicado em 26/11/2023, às 22h37

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Ana Hickmann no programa Domingo Espetacular - Foto: Reprodução / Record TV
Ana Hickmann no programa Domingo Espetacular - Foto: Reprodução / Record TV

A apresentadora Ana Hickmann fez um relato sobre o que viveu no dia da agressão do ex-marido, Alexandre Correa. No programa Domingo Espetacular, ela contou detalhes de como foi a briga, como tudo começou e quando decidiu ligar para a polícia.

Ela disse que a briga aconteceu na casa da família por causa de uma conversa dela com o filho, Alexandre, de 10 anos, sobre as mudanças que poderiam acontecer na vida deles em decorrências de dívidas que apareceram. Porém, o ex-marido não gostou disso e eles começaram a brigar. 

"Difícil reviver algumas coisas, mas agora dá para falar sem chorar, já chorei muito, já gastei todo o meu estoque de lágrimas. Eu não achei que iria ter uma montanha russa de emoções. Minha vida tem sido de provações há bastante tempo. Naquele dia 11, sábado, eu estava tendo uma conversa com meu filho na cozinha sobre algumas mudanças que aconteceriam na nossa vida com relação a nossa casa, coisas que ele está acostumado. A gente sempre teve uma conversa aberta. Por causa dessa conversa e outras coisas que aconteceram antes, eu comecei a ser achincalhada pelo Alexandre. Começamos com a briga verbal e terminou com o jeito como o Brasil descobriu", disse ela. 

"Nós começamos a discutir. Ele começou a reclamar que eu não tinha o direito de falar assim com nosso filho. Que eu era louca e tinha que parar de traumatizar o menino. Eu falava: 'A gente precisa prepara o Alezinho porque as coisas vão mudar, mais cedo ou mais tarde mudanças acontecerão e eu não quero que ele sofra'. Por esse motivo de admitir os problemas, que ele não gostou. A briga começou a ficar mais acalorada. Nessa, o Alezinho pediu para parar, parem de gritar. Não foi a primeira briga verbal que tivemos. Então, o Alezinho corre pra piscina. O Alexandre vai atrás dele dizendo: 'sua mãe está mentindo, ela é louca'. 'Para de mentir parao nosso filho, para de mentir para mim' [disse Ana]. O negócio começou a esquentar. Eu pedi para a pessoa que trabalha lá em casa levar o Alezinho para a parte de trás da casa", explicou. 

Então, o filho do casal foi levado para uma casa de funcionários e ficou lá. Enquanto isso, Ana foi para a cozinha e a briga piorou. "Tem o anexo, e o Alezinho foi levado para lá. A briga continuou, me chamando de louca, que eu estava descompensada. 'Você vai me bater?' Quando eu falei isso, a feição dele mudou completamente, ele veio sim para me dar uma cabeçada. 'Se você viver para cima de mim, eu vou chamar a policia'. Falei, uma, duas, três vezes. Ele veio me abraçar. Quando ele estava perdendo na conversa, ele vinha e me agarrava com força. Ele começou a perder o controle mais ainda. Eu comecei a gritar muito: 'Socorro, chama a polícia, 190!'. Nessa eu consegui me desvencilhar dele. Fiquei com medo dele, eu tentava fechar a porta e ele tentando manter aberta. Ele fecha a porta na parte do meu cotovelo, acho que estava com a adrenalina e eu não senti dor. Os meus cachorros estavam atrás de mim e latindo muito. Eu gritei pega e o Joaquim [cachorro] pegou. O meu cachorro voou para cima dele e eu fechei a porta, as janelas. Quando eu sentei na mesa, o meu abraço já estava muito inchado", afirmou ela.

Assim, Ana conseguiu pegar seu celular e ligou para a polícia quando viu que o ex-marido poderia entrar na cozinha por uma das janelas. "Eu liguei 190, foram 3 toques e a policial atendeu. Ainda bem que existe o 190, porque se eu não tivesse ligado, ele teria entrado na cozinha e eu não sei o que teria acontecido", afirmou. 

Ao ser questionada se houve agressão, ela confirmou. "Sim", afirmou. Então, ela disse que o filho não viu quando o pai fechou a porta no braço da mãe. "Na hora que ele fechou a porta no meu braço, não, mas antes sim", disse ela.

O casamento já estava abalado

A relação deles já estava abalada há algum tempo. Ana Hickmann disse que percebeu que o ex-marido estava mentindo para ela. "Dias antes eu achei coisas no escritório, ele não sabia que eu ia chegar mais cedo. Quando aquilo saiu, me machucou muito. Eu construí isso tudo e nunca devi nada para ninguém. E agora estou devendo para banco? Não é vergonha vender casa e apartamento. E eu comecei a achar mais coisa e foi ai que ele não gostou. Eu ainda não posso entrar em detalhes, o que eu posso dizer é que na quinta-feira que antecedeu a agressão na minha casa, eu encontrei documentos, cheques, muita coisa. Algumas, quando eu olhei, eu não consegui identificar para que serviam, se eram licitas ou ilícitas, assinaturas que eu tenho certeza que não são minhas, valores, que se passou por aqui, porque tudo isso esta acontecendo? Quando eu questionei, o que é isso? Você não me explicar? Foi a primeira vez que ele começou a ficar muito agressivo comigo", revelou. 

"Naquele sábado, acho que foi aquela ligação que foi algo que eu já tinha prometido para mim mesma que se um dia acontecesse comigo o que aconteceu com a minha mãe, eu não deixaria ir adiante. Aquilo foi o pontapé inicial para muita coisa ruim acontecer. Existe uma grande investigação de fraude, desvio e falsidade ideológica. E eu tenho que esperar para saber o tamanho disso tudo", afirmou. 

A apresentadora contou que não teve o apoio que esperava das pessoas ao seu redor. "Quando eu comecei a perceber que não era o certo, e trazia isso para as pessoas que eu achava que podia confiar, diziam: o Alexandre é assim, não briga com ele, ele está estressado. Eu também estou cansada e estressada, e não significa que posso maltratar as pessoas ao meu redor. Quando a primeira nota saiu, ele tentou esconder de todo jeito. Foi de um banco, na sequência vieram outros. Naquela semana que eu fui buscar mais informações dentro do escritório, ele começou a mentir cada vez mais e eu comecei a abrir as gavetas. Eu vi que meu problema não era só dívida de banco. Tinha muito mais, de outra natureza, e isso me faz ter bastante medo", contou.