"Acabei sendo mal interpretado", diz Zeca Camargo sobre morte de Cristiano Araújo

O apresentador participou do Vídeo Show nesta segunda-feira, 29, e falou sobre a polêmica com o mundo sertanejo

segunda 29 junho, 2015
Zeca Camargo participa do Vídeo Show
Zeca Camargo participa do Vídeo Show TV Globo/Reprodução

Zeca Camargo participou do Vídeo Show nesta segunda-feira, 29, e falou sobre a polêmica declaração que deu sobre o cantor Cristiano Araújo na GloboNews -- e que envolveu toda a classe sertaneja no Brasil.

"Gostaria de aproveitar esse momento aqui porque escrevi um comentário na GloboNews sobre essa cobertura e acabei sendo, talvez, mal interpretado por alguns fãs. Queria deixar claríssimo que tenho a maior admiração por qualquer artista, sobretudo o 'Cristiano Ronaldo', que não está mais entre nós. Ele teve um origem tão humilde, simples, honesta, bonita. Ele estourou e virou esse artista que o Brasil inteiro chorou nessa morte. Qualquer artista tenho, sobretudo, muito respeito por todos. Queria me desculpar com quem talvez tenha entendido errado e seguir com esse respeito", disse o apresentador confundindo o sobrenome do cantor brasileiro e do jogador português.

Mais Notícias

Otaviano Costa foi o responsável por corrigir o nome do cantor ao vivo. Zeca pediu desculpas e relembrou a mesma gafe cometida por Fátima Bernardes durante o Encontro. Mônica Iozzi defendeu o apresentador e disse que achou a crônica "maravilhosa" -- mesmo tendo feito parte da "cobertura insana da mídia" criticada por Camargo.

"Obrigado, Mônica. Não temos que xingar ninguém. Temos que celebrar todos os artistas, criação, tudo que é bonito que fazemos. Temos uma cultura de música maravilhosa no Brasil. Não só o sertanejo, mas o hip hop, o pop, o rock, o samba. É uma riqueza muito grande", completou Zeca.

ENTENDA A POLÊMICA

Zeca Camargo causou uma grande revolta nas redes sociais na noite deste domingo, 28, por criticar a "comoção nacional" em torno da morte do cantor sertanejo Cristiano Araújo.

O apresentador fez uma crônica para o Jornal das Dez, da GloboNews, e falou sobre o fato das pessoas que não faziam ideia de quem era o artista terem partido para um "abraço coletivo".

"Muita gente estranhou a comoção nacional diante da morte trágica e repentina do cantor Cristiano Araújo. A surpresa maior, porém, vem do fato de ser tão famoso e tão desconhecido. O Brasil, felizmente, tem um punhado de artistas que não passam pelo radar da grande mídia, nem são um consenso popular, mas que levam multidões para seus shows. [...] O que realmente surpreende neste evento triste da semana foi a comoção nacional. De uma hora para outra, fãs e pessoas que não faziam ideia de quem era Cristiano Araújo partiram para o abraço coletivo, como se todos nós estivéssemos desejando uma catarse assim, um evento maior que nos unisse pela emoção", contou Zeca.

Zeca ainda relembrou os grandes funerais públicos, que existem, segundo ele, para "expulgar nossas dores, como se tivessem uma capacidade purificadora". "É só lembrar as despedidas de Cazuza, Ayrton Senna, Kurt Cobain, Lady Diana, Michael Jackson, Mamonas Assassinas. Mas Cristiano Araújo? Sim. Eles sim eram, guardadas as proporções, ídolos de grande alcance. Como fomos, então, capazes de nos seduzir emocionalmente por uma figura relativamente desconhecida?", questionou.

O jornalista fez, então, um paralelo com a onda dos livros de colorir, que se tornaram um grande sucesso no país. "A resposta está nos livros para colorir! Sim, eles mesmos! Os inesperados vilões do nosso cenário pop, acusados de destacar a pobreza da atual alma cultural brasileira. Não vale a pena discutir os verdadeiros valores desses produtos, se é que eles existes. Mas eles vem bem a calhar para fazermos um paralelo com a ausência de fortes referências culturais que experimentamos no momento", disse.

Por fim, Zeca -- que é contratato da TV Globo e está prestes a estrear o programa É de Casa nos sábados de manhã -- criticou a "insana cobertura" da mídia. "A morte de Cristiano Araújo e a quase insana cobertura de sua despedida vestiu a carapuça de um contorno de linhas pretas num papel branco, só esperando a tinta das emoções das pessoas para ganhar cor e, quem sabe, significado. Como robôs coloristas preenchemos aqueles desenhos na ilusão de que estamos criando alguma coisa. Assim como ao nos mostrarmos abalados com a ausência de Cristiano, acreditamos estar comovidos pela perda de um grande ídolo. Todos sabemos que não é bem assim. Talvez o cantor tenha morrido cedo demais para provar que tinha potencial para se tornar uma paixão nacional. Nossa canção popular é hoje dominada por revelações de uma música só, que se entregam a uma alucinada agenda de shows para gerar um bom dinheiro antes que a faísca desse sucesso singular apague sem deixar uma chama mais duradoura. E, nesse cenário, qualquer um pode, nem que seja por um dia, ser uma estrela maior. Teria sido esse o caso de Cristiano Araújo? [...] Temos tudo para adorarmos ídolos de verdade, e chorar de verdade seja pela presença dele no palco ou na saudade da perda. Mas, agora, olhando em volta, não vemos nada disso", completa o jornalista em seu texto.

 

Nas redes sociais, Zeca foi bombardeado por críticas dos cantores sertanejos e fãs da música raíz brasileira. Thaeme Mariôto, Thiago Bertoldo, Maria Cecília e Rodolfo, Israel NovaesSorocaba, da dupla com Fernando, Marcos LéoBruno Belutti, Munhoz Mariano, Henrique e Juliano foram alguns dos artistas que endossaram as críticas para o apresentador:

 

 

 

#quemézecacamargo ?? Boca fechada não entra mosca ????

Uma foto publicada por T H I A G O B E R T O L D O (@thiagotet) em

 

 

#quemezecacamargo ?????? ????????????

Uma foto publicada por Maria Cecilia e Rodolfo (@mariaceciliaerodolfo) em

 

 

 

 

 

 

#QuemÉZecaCamargo

Uma foto publicada por @mariano_mm em

 

 

Atenção para a localização... Primeiramente, peço desculpas por "minhas" palavras pois elas não terão um tom ameno. Zeca Camargo, tive o desprazer de ouvir suas palavras na televisão e é claro que, fiquei espantado com o tamanho do teu despreparo e incompetência. O senhor estava sob efeito de alguma droga? Não é porque o senhor acha que "CULTURA" está na tua cintura com a sua dança do ventre, que o senhor tem o direito de desrespeitar quem admira e respeita aqueles que, trabalham arduamente pra ter o trabalho reconhecido usando um "microfone diferente" dos que o senhor usa pra ganhar o seu. Tipo, a boca é sua e o senhor tem o direito colocá-la aonde bem entender. Acredite, a gente respeita! Porém, o seu direito só vai até aí ok? Calma lá e tenha bem mais respeito ao mencionar o nome de qualquer um que defenda a cultura SERTANEJA deste país. Autor: Uma classe ofendida com a safadeza das suas palavras.

Uma foto publicada por Henrique e Juliano (@henriqueejuliano) em

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Relembre a última entrevista do cantor para a TV CARAS:

 

por CARAS Digital
Atualizado quinta 2 julho, 2015 (263252) | 16/11/2018 01:37:21

Mais conteúdo sobre:

CARAS Recomenda

  1. CARAS bate recorde de visitantes em Outubro
  2. Bruna Marquezine se espanta com atitude inusitada da irmã
  3. Hiking no Alaska: o frescor das geleiras no estado americano
  4. Patricia Abravanel comemora gravidez ao lado dos dois filhos

Receba em Casa

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

  1. 1 Grammy! Iza arranca suspiros em performance internacional
  2. 2 Gusttavo Lima se derrete com clique do filho Samuel
  3. 3 Gracyanne Barbosa faz a temperatura subir com biquíni ousado
  4. 4 Paula Fernandes fala sobre depressão e tentativa de suicídio
  5. 5 Bruna Marquezine se declara para artista global: 'Eu te amo'
  6. 6 José Loreto fala sobre Gagliasso: ''Encontrei o meu rival''
  7. 7 Reynaldo Gianecchini posa com roupão de estampa animal
  8. 8 Patrícia Leitte surge com fantasia de Peppa Pig em festa
  9. 9 Anitta relembra momento constrangedor com o ex-marido
  10. 10 Vivian Amorim e Fernanda Keulla deixam 'Vídeo Show'