Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Aos 94 anos, autora Tatiana Belinky morre em São Paulo

Em 1952, junto com o marido, o educador Julio Gouveia (1914-1988), Tatiana fez a primeira versão de "O Sítio do Picapau Amarelo", de Monteiro Lobato, para a TV.

Redação Publicado em 16/06/2013, às 17h35 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

A escritora  Tatiana Belinky, que morreu aos 94 anos - Reprodução/TV
A escritora Tatiana Belinky, que morreu aos 94 anos - Reprodução/TV

O corpo de Tatiana Belinky foi enterrado no começo da tarde deste domingo, 16, no Cemitério Israelita da Vila Mariana, na zona sul de São Paulo. A escritora morreu ontem aos 94 anos. Ela estava internada há 11 dias no Hospital Alvorada. Não foi divulgada a causa da morte.

De origem russa, a escritora chegou mudou-se para o Brasil com a família quando tinha apenas dez anos. É autora de mais de 250 livros, a maioria obras infanto-juvenis.    


Em 1952, junto com o marido, o educador Julio Gouveia (1914-1988), Tatiana fez a primeira versão de "O Sítio do Picapau Amarelo", de Monteiro Lobato, para a TV.

Tatiana também escreveu críticas literárias para diversos jornais durante a vida, como "O Estado de S. Paulo", "Folha de S.Paulo" e "Jornal da Tarde". Ela ainda colaborou com a "TV Cultura".

Em comunicado oficial, a ministra da Cultura, Marta Suplicy, disse que as obras da escritora fizeram diferença para ela na infância. Leia abaixo a íntegra:

"Tatiana Belinky é joia rara. Da lavra de Niemeyer e outros poucos incansáveis. Sensível, produtiva. Capaz de nos brindar com centenas de livros para um público extremamente desafiador: o infanto-juvenil. Embalou muitas das minhas alegrias de infância! Conhecer a obra de Tatiana fez diferença para mim e sei que para a alma de incontáveis meninos e meninas. Nossa literatura perde uma grande criadora."