Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Daniel Blanco estreia em musical e relembra infância: "Morria de vergonha de cantar"

O ator interpreta um garçom "lesado" que vive amor não-correspondido pela personagem de Jeniffer Nascimento em 'Divas - O Musical'

Kellen Rodrigues Publicado em 05/10/2016, às 13h58 - Atualizado às 14h19

Daniel Blanco vive Pacífico em 'Divas - O Musical' - Páprica Fotografia
Daniel Blanco vive Pacífico em 'Divas - O Musical' - Páprica Fotografia

Nascido em uma família de músicos, Daniel Blancoera tímido para soltar a voz na infância. Quando o pai, Billy Blanco Jr (filho do ícone da bossa nova Billy Blanco), resolveu reunir os filhos para fazer shows como Família Blanco, ele até relutou. "Eu achava muito cafona essa ideia, mas meu pai sempre disse que um dia eu ia agradecer por ter participado disso", relembra Daniel.

Hoje ele constata que o pai estava certo. Daniel estreia nesta sexta-feira, 7, seu primeiro musical no teatro: Divas – O Musical, em São Paulo. "Hoje eu vejo o quanto me ajudou no que eu faço. Além de ser apaixonado por cantar, o medo de me apresentar em público desapareceu e minha capacidade de cantar em coro foi fortalecida desde menor. Abrir voz não é fácil", admite.

De férias da TV após o fim da novela Totalmente Demais, agora ele dá vida ao garçom/cantor Pacífico. "Sabe aquela pessoa lerda que é sempre o último a entender as coisas? É o meu personagem", diverte-se.

O musical estrelado por Daniel, Luiza Possi, Jeniffer Nascimento, Nikki, Rodrigo Andrade e Leilah Moreno, conta a história de três melhores amigas que formaram uma girl band na adolescência, se reencontram num reality show e precisam enfrentar as diferenças do passado e competir entre si. O espetáculo traz sucessos das décadas de 70 até hoje, que ganharam o mundo nas vozes de Celine Dion, Madonna, Cher, Whitney Houston, entre outras estrelas da música. A autoria é de Anna Toledo e direção de Jarbas Homem de Mello.

Confira o bate-papo com o ator!

- Conta um pouquinho do seu personagem, Pacífico. Ele é engraçado?
Ele é engraçado sem querer ser. Ele não tenta ser. A graça vem do quanto ele é lesado. Sabe aquela pessoa lerda que é sempre o último a entender as coisas? Aquele que não presta atenção no que deve porque está sempre viajando na sua própria cabeça, no seu mundo paralelo? É o meu personagem, Pacífico.

- É seu primeiro musical, né? Como está sendo?
Sim, é o meu primeiro. Desde que me interessei por ser ator, tive vontade de misturar as duas artes que mais amo. Eu sempre soube que ia amar trabalhar com isso e estou confirmando isso a cada dia de ensaio. São puxados sim, até porque tivemos pouquíssimo tempo pra montar um musical inédito, mas mesmo assim estão prazerosos. Nas primeiras semanas ensaiávamos oito horas por dia e agora na última semana estamos ensaiando nove, de segunda a sábado. A parte que eu mais gosto é quando nos juntamos em volta do diretor musical Thiago Gimenes para dividir as vozes paras 14 pessoas do elenco. É uma delícia cantar em coro.

- Seu personagem tem romance?
Ele é apaixonado pela Cecília, a personagem da Jeniffer Nascimento. O problema é que ela não vê o Pacífico da mesma forma. Eles são muito amigos, trabalham juntos como garçons/cantores no mesmo restaurante e mesmo com todo carinho e admiração que ele tem por ela, ele não consegue ter a reciprocidade dela. Mesmo assim é super fofa a amizade dos dois.

- Qual parte do espetáculo você mais gosta? Alguma música preferida?
Gosto muito do início quando todos entram juntos cantando e dançando, a energia é muito forte e contagiante. A música que eu mais curto ouvir do espetáculo é "Fighter" cantada por Nicholas Maia e Luiza Possi. Arrepiante.

- Quando você descobriu que gostava de cantar? Desde criança?
Quando eu era criança eu morria de vergonha de cantar, principalmente quando meu pai resolveu juntar a família inteira e fazer shows como "Família Blanco". Eu achava muito cafona essa ideia, mas meu pai sempre disse que um dia eu ia agradecer por ter participado disso. Hoje eu vejo o quanto me ajudou no que eu faço. Além de ser apaixonado por cantar, o medo de me apresentar em público desapareceu e minha capacidade de cantar em coro foi fortalecida desde menor. Abrir voz não é fácil.

- Frio na barriga pela estreia ou está tranquilo?
Se eu não sentir frio na barriga antes de subir no palco em qualquer apresentação, tem alguma coisa errada ou simplesmente estou na profissão errada. Felizmente sinto frio na barriga antes de toda apresentação, não só nas estreias. Esse frio na barriga me dá uma oportunidade de canalizar o nervosismo e transformar em adrenalina e vitalidade pra cena. Tivemos relativamente pouco tempo de ensaio, o que criou ansiedade e preocupação com todas as minhas marcas, coreografias e músicas, mas tenho certeza que esse nervosismo vai me ajudar.

'Divas - O Musical':
Período: 07 de outubro a 13 de novembro
Local: Teatro Procópio Ferreira, São Paulo
Horários: Quinta, 21h; Sexta, 21h; Sábado, 18h e 21h30; Domingo, 17h