revista Protesto

Volta da Fórmula 1 faz mobilização contra o racismo

Único negro da categoria, Lewis Hamilton lidera ato na pista antes da largada do GP da Áustria

Revista CARAS Publicado sexta 10 julho, 2020

Único negro da categoria, Lewis Hamilton lidera ato na pista antes da largada do GP da Áustria
De joelhos, Lewis Hamilton e outros pilotos usaram camisetas pedindo o fim do racismo - Getty Images


A pausa foi longa por conta da pandemia de coronavírus, mas a Fórmula 1 retornou na última semana com uma grande diferença: a primeira corrida da temporada, na Áustria, teve arquibancada vazia. A ideia é que todas as corridas do ano aconteçam sem público. Mas isso não impediu que os pilotos se manifestassem contra o racismo antes da disputa na pista. Antes de entrarem em seus carros, alguns deles se ajoelharam e exibiram camisetas com frases contra o racismo. Dos 20 pilotos que disputaram a prova, apenas seis permaneceram de pé. “Hoje foi um momento importante para mim e para todas as pessoas que estão trabalhando e esperando por mudanças. Por uma sociedade mais igualitária e justa. Posso receber críticas na mídia e em outros lugares, mas essa luta é sobre igualdade, não política ou promoção”, disse o piloto da Mercedes Lewis Hamilton (35), o único negro da categoria. “Para mim, foi um capítulo emocional e comovente no trajeto de tornar a F1 um esporte mais diversificado e inclusivo. Quero um futuro melhor para nossa geração e para os que estão atrás de nós. Há muito que precisa ser feito. Ninguém é perfeito, mas se todos fizermos a nossa parte, podemos ver a mudança”, completou ele.

A luta contra o racismo não foi a única manifestação dos pilotos. Eles também se reuniram em círculo para fazer um minuto de silêncio pelas vítimas da Covid-19 no mundo. Após o ato, foi dada a largada e, mais uma vez, os fãs acompanharam o domínio da Mercedes. O finlandês Valtteri Bottas (30) liderou a prova de ponta a ponta. O hexacampeão Hamilton, que tenta o sétimo campeonato para se igualar ao recorde do alemão Michael Schumacher (51), chegou em segundo lugar e deu um show nas ultrapassagens, mas foi punido com cinco segundos após choque com o piloto tailandês Alexander Albon (24), da equipe Red Bull, o que o fez cair para a quarta posição. “Um grande dia hoje. Mas estou com os olhos no futuro”, avisou Bottas, que, no mesmo dia, celebrou o aniversário da namorada, Tiffany Cromwell (32).

A pandemia alterou todo o calendário da temporada de Fórmula 1. Além de sediar a primeira corrida, a Áustria receberá também a segunda competição, que acontece apenas uma semana depois da primeira. Em seguida, o campeonato passará por Hungria, Inglaterra, que também será palco de duas provas, Espanha, Bélgica e Itália. Tradicionais GPs como os de Mônaco, França e Holanda, entre outros, não farão parte do circuito de 2020.

O grande circo da F1 também sofreu drásticas mudanças. As equipes foram reduzidas ao máximo, assim como o número de jornalistas com passe livre para os boxes. As medidas, todas desenvolvidas junto com a Organização Mundial de Saúde, a OMS, e o Comitê Olímpico Internacional, COI, incluem ainda o uso de máscara obrigatório e o distanciamento social. Os luxuosos motorhomes das equipes, que exigiam muita gente para montá-los e diminuíam o espaço de circulação, também foram abolidos e trocados por módulos menores, usados, inclusive, pelos pilotos para descansarem.
 

Último acesso: 10 Aug 2020 - 22:08:21 (356744).