Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Revista / Exclusiva

Victoria Rossetti, a Nayara de Pantanal, festeja os aprendizados em sua primeira novela

Na pele de Nayara no remake da novela Pantanal, a atriz Victoria Rossetti reflete sobre conquistas e fama ao abrir as portas de sua casa na revista CARAS

Por Mariana Silva Publicado em 16/07/2022, às 08h43

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Victoria Rossetti - Fotos: Marcelo Sa Barreto
Victoria Rossetti - Fotos: Marcelo Sa Barreto

Estrelar uma novela, lidar com o ritmo de gravações, as mudanças na rotina e ainda encarar a repercussão do público nem sempre é uma tarefa fácil, ainda mais quando se trata de seu primeiro trabalho na televisão. Mas, o que pode parecer desafiador para alguns, foi tirado de letra por Victoria Rossetti (23), que dá vida à intensa Nayara, de Pantanal. “Acho que depois de ficar reclusa por dois anos eu não esperava o ritmo acelerado da execução de uma novela! Como era a primeira vez nessa linguagem, foram muitos aprendizados, principalmente vindo do processo de criação de cena com os atores e diretores. A gente tem que estar muito presente e disponível”, avalia a atriz que, em 2019, havia feito a série Psi, da HBO. “Foram muitos desafios, mas o importante foi me lançar para eles! É uma doação de corpo e alma cem por cento”, emenda. Para ela, além de toda a novidade, a chance de contracenar com profissionais mais experientes ainda lhe trouxe uma importante bagagem profissional. “Trabalhar com a Karine Teles, com o Caco Ciocler e com a Camila Morgado foi muito inspirador. Eles já conhecem os métodos e já percorreram uma longa carreira por meio de diversos personagens. Encenar com eles era algo que me emocionava muito”, conta, referindo-se aos intérpretes de Madeleine, Gustavo e Irma, respectivamente, na trama das 9. 

Embora esteja alcançando um novo patamar de fama somente agora, a atuação sempre esteve presente em sua vida. Irmã da atriz Samantha Rossetti (25), em quem se inspirou para iniciar a sua  própria carreira artística, Victoria se mostra bastante autocrítica quando o assunto é trabalho. “Sempre gostei muito de desenvolver certa intimidade com as diferentes expressões e perspectivas, me permitindo ter outras percepções sobre o mundo, sobre a minha própria vida”, explica a atriz. “Amo ser artista e isso não se abandona só porque se dá um tempo nas grandes produções ou na grana que vem por meio delas”, completa ela. 

Depois de muito batalhar para acessar esse lugar na trajetória, a atriz revela que o amor e dedicação à arte é o segredo de seu atual sucesso. “O convite para Pantanal surgiu depois de anos fazendo testes na Globo, depois de anos no radar dos produtores... Sempre me dedicando ao teatro e à interpretação”, relembra ela, que preferiu dar a sua própria cara a Nayara, personagem que se chamava Nalvinha na primeira versão da obra, exibida em 1990 pela extinta TV Manchete. “Eu criei a Nayara usando bastante dos meus sentimentos, das minhas intimidades. Foi um processo muito interessante, descobri muitas coisas por meio dela. A forma como elegemos fantasias para trazer sentido à nossa vida e até mesmo como nos refugiamos nas personas que construímos para tentar nos aproximar mais dos nossos desejos”, detalha Victoria, que também preferiu não assistir às cenas da antiga novela. “Quando comecei a estudar, assisti a poucos capítulos de Pantanal original. Tinha receio de me basear na forma das outras interpretações. Hoje já faria diferente, não embarcaria nesse medo, usaria mais referências da trama antiga”, reflete a atriz.  

Atualmente, após encerrar as gravações da trama, Victoria tem aproveitado o período longe do set na casa em que mora com a irmã, em São Paulo. Mas engana-se quem pensa que ela só descansa. “Continuo a graduação em Filosofia, que comecei em 2020, e faço cursos de interpretação, dança, respondo às repercussões da novela, faço algumas publicidades, faço outros testes... Ainda não parei”, diz. Apesar de ainda envolvida com a história, a atriz entrega que é difícil se ver na TV. “Meus familiares ficam muito emocionados em me assistir na TV. Minha mãe chorou a primeira vez, já eu não gosto de me ver, não! Amo a novela, mas quando apareço me sinto bem estranha, é difícil não se criticar”, admite, aos risos.

Diferentemente de sua personagem, que passou por uma grande desilusão por conta da interação nas redes sociais, Victoria confessa que ainda não se sente muito à vontade em se expor na internet. “Acho que as redes sociais são configuradas para desenvolver esse vício. Fica difícil não se deslumbrar uma vez que você começa a se engajar nesse mundo. Por isso eu me afasto bastante, não me sinto bem com exposição, não gosto tanto de mostrar minha vida pessoal”, afirma ela. “É um lugar que tem que se tomar bastante cuidado, um lugar muito selvagem. Lido com várias críticas, mas sinto que posso crescer com amor e entendimento desse processo. Descobri também que tenho muitos fãs amorosos, o que é muito gratificante”, analisa.

Buscando sempre evoluir, a atriz idealiza um futuro de conquistas e novos aprendizados. “Eu realmente espero que me desenvolva como ser humano e como atriz na minha carreira. Quero muito conquistar novas personagens e embarcar nelas. Quero contar histórias emocionantes que possam proporcionar mais entendimento e amor às pessoas”, adianta. Atualmente solteira, ela não tem buscado, mas está disposta a encontrar um novo amor. “Estou solteira, sim, mas adoraria encontrar um grande amor”, garante.

Fotos de Victoria Rossetti, a Nayara de Pantanal, em sua casa em São Paulo:

Victoria Rossetti

Victoria Rossetti

Victoria Rossetti

Victoria Rossetti

Victoria Rossetti

Victoria Rossetti

Victoria Rossetti

Victoria Rossetti

Fotos: Marcelo Sa Barreto