Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Veja por que alguns rapazes só se interessam por mulher mais velha

Marcos Ribeiro Publicado em 05/03/2014, às 20h19 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

.
.

Na música Mudança dos Ventos, de Ivan Lins (68) e Vitor Martins (69), Nana Caymmi (72) canta o seguinte: “Ah, vem cá meu menino/ Do jeito que imagino/ Me tira essa vergonha/ Me mostre, me exponha/ Me tire uns 20 anos/ Deixa eu causar inveja/ Deixa eu causar remorsos/ Nos meus, nos seus, nos nossos...”. O tema desta nossa conversa é justamente a relação amorosa entre um homem jovem com mulher mais madura. A diferença de idade muitas vezes chega a 40 anos, o que deixa o rapaz “doidinho”, como está um funcionário envolvido com uma moradora do condomínio onde moro, no Rio. Socialmente, é uma situação que causa desconforto, porque a  maldade toma a frente da história. É comum dizerem  que “a coroa deve estar sustentando o garotão!”. Mas o contrário, a união do homem mais velho com uma jovem, em geral é mais bem-aceito.

O que faz um jovem se interessar — e sentir desejo — por uma mulher com mais idade que sua mãe? A maturidade precoce pode fazê-lo buscar conversas mais profundas, aprendizado e incentivo para crescer. Sexualmente, a experiência e o ‘saber o que quer’ da mulher mais velha é fonte de fantasias. Mas não é só isso. Tem o outro lado da história, que está ssociado às relações afetivas do rapaz na infância.

Psicologicamente, ele pode estar projetando nessa mulher a figura materna, buscando a segurança, proteção e “estabilidade” emocional que lhe faltaram quando era criança. De uma maneira inconsciente, essa mulher — que acredita ser amada — estaria cumprindo esse papel para ele. Na Psicanálise, Sigmund Freud (1856-1939) formulou o chamado complexo de Édipo, que é quando a criança, na fase fálica, por volta dos 3 anos, sente forte amor pela mãe e ódio pelo pai (ou por qualquer outra pessoa que desvie a atenção que ela tem para com o filho). A consequência é que o homem pode vir a buscar, nas relações maduras, a figura da sua mãe projetada na mulher mais velha para suprir a carência da infância.

O nó dessa história pode estar neste ponto: enquanto o rapaz se divide entre o desejo da experiência para uns e a imagem materna para outros, para a mulher há só a busca da jovialidade, a emoção, leveza, diversão e aventura. O namoro com um “garoto de apenas 20 anos” a faz se sentir desejada e valorizada.

A que os dois devem ficar atentos, então? Primeiro, é preciso ter clareza: identificar se ambos têm os mesmos olhares e expectativas e se não estão querendo suprir carências. O rapaz deve buscar descobrir quem é essa mulher para ele, que papel está ocupando em sua vida. Outro ponto importante para o homem é lembrar que, por ser jovem, pode não ter disponibilidade financeira para acompanhar a parceira em programas de que gosta. O casal deve conversar a respeito.

De outro lado, a mulher precisa ser forte para enfrentar o preconceito. Pode vir a ser rotulada de iludida e ouvir que vai “levar o golpe”. Se ficar insegura, pode sofrer com o ciúme e criar o “fantasma” da “competição” com a juventude de outras mulheres. Enfim, a diferença de idade e de momentos de vida pode ajudar ou ser empecilho para a união. Mas o amor pode ultrapassar tudo. E, se for passageiro, “que seja infinito enquanto dure”, como escreveu o poeta carioca Vinicius de Moraes (1913-1980).