revista Moda

Sustentabilidade rege moda em Paris

Passarelas performáticas dão tom da semana cheia de luxo

Revista CARAS Publicado quarta 18 março, 2020

Passarelas performáticas dão tom da semana cheia de luxo
O estilista Olivier Rousteing reúne as Tina Kunakey, no desfile da Lacoste modelos Erin Wasson, Julia Stegner, Helena Christensen e a brasileira Carol Ribeiro - Getty Images


Um misto de provocações, reflexões sobre o mundo atual e o meio ambiente e apresentações deslumbrantes, sem falar dos looks e acessórios luxuosos, pode dar o tom do que foi a Semana de Moda de Paris. Em nove dias, grandes marcas do universo fashion mostraram suas coleções em diversos pontos da capital francesa, movimentando muitas celebridades e influenciadores da moda. O time de brasileiras marcou presença em peso, com Helena Bordon (33), Camila Coelho (32), Lala Rudge (29), além das modelos Isabeli Fontana (36) e Caroline Ribeiro (40), que desfilou para o estilista Olivier Rousteing (33), diretor criativo da Balmain.

A grife, conhecida por valorizar a sensualidade feminina, trouxe peças bem estruturadas, com ombreiras em destaque, muito couro e detalhes dourados como suas apostas para o Outono-Inverno 2020/21. Assim como Carol, Helena Christensen (51), supermodelo dinamarquesa dos anos 1990, foi uma das convidadas pelo designer para o show, regado a referências dessa e da década de 1980. “Uma noite mágica, que não consigo agradecer o suficiente. Obrigada ao time icônico de modelos que desfilou para a Balmain, especialmente a Helena. Você define o que é fashion e é uma das modelos que mais tem elegância e força ao mesmo tempo. Sou grato para o resto da minha vida”, disse Olivier, após o fim da apresentação.

O tema da sustentabilidade também veio forte em algumas criações. A estilista Stella McCartney (48) e a maison Balenciaga levaram reflexões intensas sobre a crise climática. A herdeira do músico Paul McCartney (77) ousou ao trazer modelos vestidos de vários animais, como vaca, coelho e até um jacaré, todos segurando bolsas tipo tiracolo, feitas com couro vegano ou materiais de plástico reciclado, no fim do desfile, ao lado dos looks apresentados previamente na passarela. Com a cantora Janelle Monáe (34) e a atriz Shailene Woodley (28) na primeira fila, o público adorou a ação e não perdeu tempo em registrar tudo nas redes sociais. “O que nós tentamos fazer na marca foi suavizar uma mensagem forte e significativa com um pouco de humor, fazer nosso ponto de vista sustentável ser mais fácil e gostoso de ser entendido”, revelou a estilista. “Esses animais são ingredientes que todas as marcas costumam usar. Nós somos a única marca de luxo de moda no mundo que não mata animais para apresentar na passarela. Eu queria falar sobre este marco de um jeito mais engraçado e leve”, enfatizou ela, que foi tietada pelos convidados.

Os anos 1970 e sua revolução cultural foram as grandes inspirações da estilista Maria Grazia Chiuri (56), diretora criativa da Dior, para a coleção invernal na semana parisiense. As atrizes Demi Moore (57), Nina Dobrev (31) e Sigourney Weaver (70) estavam entre as estrelas na primeira fila do espetáculo, cujas referências se basearam, principalmente, nas memórias de infância da designer, na ativista feminina Carla Lonzi (1931–1982) e no legado de Marc Bohan (93), diretor criativo da marca por 30 anos. “Volto quando eu era mais jovem em Roma, por volta dos anos 1970, 1980, porque foi um momento importante da minha vida, com questões importantes como a libertação das mulheres”, disse Maria Grazia. “Um show totalmente inspirador. Obrigada, Maria Grazia, por me convidar e pelas criações que você fez”, elogiou Demi.

Aos 6 anos, a pequena North West, a primogênita do casal Kanye West (42) e Kim Kardashian (40), fez sua estreia na passarela de um jeito diferente. No lugar de desfilar com as criações da grife do pai, a Yeezy, em parceria com uma marca de artigos esportivos, a pequena arrancou aplausos eufóricos da plateia ao assumir o microfone para fazer a trilha sonora enquanto as modelos passavam, com alguns versos de rap e batidas eletrônicas. No fim do show, Kanye entrou para agradecer seus convidados e a filha ficou ainda mais à vontade. “A North é uma estrela em desenvolvimento”, vibrou o pai orgulhoso, nas redes sociais. “Estou extremamente orgulhosa dele e da minha filha, que fez uma performance com um remix incrível”, contou Kim. Já na grife criada por Valentino Garavani (87) e, hoje, comandada por Pierpaolo Piccioli, muitos looks sóbrios, com alguns toques de vermelho, apareceram nos corpos das modelos, com o couro sendo o material mais em evidência, elemento que enfatizou a sensualidade das peças. “A coleção surgiu do desejo de focar na humanidade dos indivíduos, para exaltar seus sentimentos e emoções, apesar da idade, sexo, raça e disposição”, disse o diretor.

Último acesso: 10 Aug 2020 - 19:51:55 (345904).