revista Artista

O despertar de André Matarazzo na TV

Em 'Malhação', o ator comenta os desafios e a mudança para o Rio

Revista CARAS Publicado sexta 21 fevereiro, 2020

Em 'Malhação', o ator comenta os desafios e a mudança para o Rio
André Matarazzo desfruta das referências da casa, na Barra da Tijuca, no Rio, onde mora com o pai - Cadu Pilotto

Referências e mais referências artísticas estão espalhadas pelos cômodos da casa de André Matarazzo (21), localizada na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. Até o sofá, com estampa de um show da famosa banda britânica de rock Led Zeppelin, traz um pouco do universo que o ator respira desde que se conhece por gente. “Puxei bastante meu pai no quesito arte, de gostar de decoração, trazer objetos que fazem referência a alguns momentos importantes da minha vida. Muitas pessoas falam que aqui tem muita coisa e eu acho que não, acho que é uma decoração incrível”, revela o vilão Marquinhos de Malhação – Toda Forma de Amar, da Globo. “No meu tempo livre, costumo dar bastante atenção para a minha família e amigos, fazer esses momentos terem bastante qualidade. Gosto também de jogar bola, nadar, ir à praia, ver filme, ouvir muita música e até pintar. Preciso comprar algumas coisas aqui no Brasil, pois deixei minhas ferramentas em Los Angeles. Para mim, a pintura é uma forma de descarregar energias, gosto de jogar as tintas na tela, mas não vai achando que eu pinto muito bem, ok?”, brinca ele.

Filho do diretor de novelas Jayme Monjardim (63) e da atriz Daniela Escobar (51), fruto do relacionamento que eles tiveram de 1995 até 2003, André se mudou de Los Angeles, onde morava com a mãe, para o Rio, onde está com o pai, para se aventurar um pouco mais no universo da atuação. No entanto, esse não é o seu primeiro papel nas telinhas, uma vez que interpretou o pequeno Jayme, seu pai, na minissérie Maysa: Quando Fala o Coração, em 2009, aos dez anos, sobre a cantora Maysa (1936-1977), mãe do diretor. “Quando eu era criança, até na época da minissérie, eu não tinha planos de ser ator ou algo parecido. Durante o colégio, fiz algumas peças, porém, nada mais que isso. A mudança veio quando eu me mudei para a Califórnia com a minha mãe. Não sei o que aconteceu, mas a vontade de atuar me bateu mais forte na alma”, relembra.

Então, com essa vontade latente, André começou a procurar cursos de teatro em solo americano e começou a se desenvolver, especialmente no lado psicológico, como costuma dizer. “Sou fascinado por atuação, por poder entrar em outras cabeças e em outros mundos. Tanto que o ramo da psicologia me chama muito a atenção. Penso, sim, em fazer uma faculdade, talvez psicologia mesmo, mas acho que, agora, o meu foco é procurar mais cursos técnicos para aprimorar o meu trabalho”, conta ele, que cursou teatro durante quatro anos.

Hoje, na pele de um dos vilões da trama adolescente, o ator brinca que é uma aventura diária desvendar as loucuras de Marquinhos e que está mais tranquilo por dividir a responsabilidade de ser filho de personalidades importantes da TV, uma vez que outros nomes no elenco também têm a mesma origem, como Pedro Novaes (23), filho de Marcello Novaes (57) e Letícia Spiller (46); e Ana Clara Winter (22), filha de Paloma Duarte (42) e Marcos Winter (53). “Não nego que ajuda ter a presença deles na novela. Os meus pais não dão muitas opiniões sobre o que assistem nos capítulos, só quando eu peço mesmo. No entanto, acho engraçado que, quando eu peço, os dois só falam bem e eu sempre fico pedindo mais, para ver se vem alguma crítica construtiva e tal (risos). Se eles não curtirem algo, eles irão me falar… ou melhor, eu espero que eles me falem”, deseja ele. Nos bastidores, André está experimentando algumas nuances de maldade e conta sobre a repercussão nas ruas. “É legal explorar o fato de que as pessoas têm defeitos e qualidades, porque são humanas. E, com o Marquinhos, tenho essa liberdade de causar, bagunçar toda a história. A galera está vendo ele como um vilão atrapalhado, pois Malhação tem esse clima mais leve. Então, procuro muito equilibrar a vilania com a comédia, pois o público está curtindo muito.”, diz o irmão do também ator Jayme Matarazzo (35). “Ele me dá muito apoio e gosto de estar com ele mais perto. Aliás, de todos os meus irmãos”, diz sobre Maria Fernanda (35) e Maysa (9).

Sobre a mudança de casa, o ator revela que sente falta da mãe, que ainda está em Los Angeles, porém ele conta que se sente muito bem acolhido por aqui. “Eu mandei um vídeo para a produção e eles me chamaram para fazer um segundo teste para Malhação. Deu certo e acabei me mudando para o Rio. Acho que aqui sinto mais calor humano, é mais fácil interagir com as pessoas e tenho facilidade de fazer amizades. O Brasil me acolhe muito bem. O único desafio é a saudade da minha mãe, porém ela torce bastante para que esse momento renda bons frutos.

Por enquanto, ele ainda não tem projetos fechados para após o término da novela, previsto para o mês de maio, mas pretende tentar oportunidades na dramaturgia brasileira. “Eu estou aberto para trabalhar e, por isso, estou meio que ficando onde eu encontro trabalhos. Não sei se vou voltar para os Estados Unidos ou se fico no Rio. Tudo vai depender do que eu fechar. Tenho vontade de fazer coisas fora, mas, por enquanto, o Brasil está sendo incrível para a minha carreira”, finaliza.

Último acesso: 30 Mar 2020 - 20:23:31 (343555).