revista Capa

Gala antecipa apostas para o Oscar

Discursos politizados das estrelas dominam 77º Globo de Ouro

Revista CARAS Publicado terça 14 janeiro, 2020

Discursos politizados das estrelas dominam 77º Globo de Ouro
Leonardo DiCaprio, Brad Pitt, a pequena Kit Harington; Nicole Kimpel e Antonio Julia Butters, Quentin Tarantino, Margaret Banderas; e Paige Butcher e Eddie Murphy Qualley, Shannon McIntosh e David Heyman - Getty Images, Carlos Piaggio, Paoula Abou-Joude e Victoria Schiafino


Várias produções de peso, como o filme O Irlandês, do diretor Martin Scorsese (77), com cinco indicações, chegaram como favoritas, porém muitas foram as surpresas durante os anúncios dos grandes vencedores da 77ª edição do Globo de Ouro, que aconteceu no Hotel Beverly Hilton, em Los Angeles, na Califórnia. A começar pelo longa 1917, cuja história traz a saga de dois soldados britânicos e uma missão desafiadora na Primeira Guerra Mundial, que conquistou a estatueta de Melhor Filme – Drama e Melhor Diretor, para o inglês Sam Mendes (54).

A obra desbancou também nomes como Dois Papas, do brasileiro Fernando Meirelles (64), e História de um Casamento, de Noah Baumbach (50), ambas produções da plataforma de streaming Netflix. “Com certeza, esse prêmio é uma surpresa para mim. Esse trabalho foi feito com muito amor, pois dediquei ao meu avô, que se alistou na Primeira Guerra. Todos os meus concorrentes nessa categoria são como professores para mim e não há diretor que não esteja à sombra de Martin Scorsese”, declarou Sam, quase sem acreditar na conquista. Outros momentos marcantes foram os discursos de agradecimento de Michelle Williams (39), vencedora da categoria de Melhor Atriz em Série Limitada ou Filme para TV, por Fosse/Verdon, e de Patricia Arquette (51), que conquistou como Melhor Atriz Coadjuvante em Série Limitada ou Filme para TV, com o papel de Dee Dee Blanchard em The Act. “Quando você coloca um prêmio como este nas mãos de alguém, você está reconhecendo suas escolhas como ator. Momento a momento, cena a cena, dia a dia. Mas você também está reconhecendo as escolhas que ela faz como pessoa. Agradeço o reconhecimento pelas escolhas que fiz e agradeço também o fato de ter vivido em um momento de nossa sociedade onde a escolha existe, porque como mulheres e garotas, coisas podem acontecer com nossos corpos que não são nossas escolhas”, disse Michelle, bastante emocionada. “Então, mulheres, quando chegar a hora de votar, por favor o faça para seu interesse. É o que os homens vêm fazendo há anos, motivo este pelo qual o mundo parece tanto com eles. Vamos fazer com que ele se pareça com a gente”, terminou ela, ovacionada pelas estrelas como Scarlett Johansson (35), indicada como Melhor Atriz para filmes dramáticos pelo trabalho em História de um Casamento, Charlize Theron (44), Joey King (20), Sienna Miller (38), Kerry Washington (42), além dos casais Beyoncé (38) e Jay-Z (50), Priyanka Chopra (37) e Nick Jonas (27), Jason Momoa (40) e Lisa Bonet (52), Kit Harington (33) e Rose Leslie (32) e Jennifer Lopez (50) e Alex Rodriguez (44).

Já a veterana Patricia preferiu enfatizar os conflitos entre o Irã e os Estados Unidos e criticou o presidente do seu país, Donald Trump (73), na hora de agradecer a honraria. “Estou muito grata por estar aqui e comemorar isso. Mas eu sei que não vamos lembrar a noite de hoje nos livros de história. Veremos um país à beira da guerra contra o Irã. Nos Estados Unidos da América, um presidente tuitou uma ameaça de 52 bombas, incluindo a locais históricos. E a Austrália em chamas. Então, embora eu ame muito meus filhos, imploro a todos nós que lhes demos um mundo melhor”, disse ela, em crítica aberta a Trump.

A tragédia ambiental no país continental também foi pauta do ator Pierce Brosnan (66), que levou os dois filhos, Dylan (22) e Paris (18), para fazer alerta sobre o ocorrido, e Russell Crowe (55), vencedor da láurea de Melhor Ator em Série Limitada ou Filme para TV por seu trabalho em The Loudest Voice. Ele não pôde estar presente na festa, pois está ao lado da família auxiliando nos esforços de combate aos incêndios florestais que atingem a Austrália, onde mora atualmente. “Não se enganem, a tragédia que tem assolado a Austrália é motivada por alterações climáticas. Precisamos agir baseados na ciência, mover nossa força global de energia renovável e respeitar nosso planeta, este lugar único e maravilhoso. Desta maneira, todos teremos um futuro”, revelou Russell, em discurso lido pela atriz e apresentadora Reese Witherspoon (43).

Apresentado pela quinta vez pelo comediante britânico Ricky Gervais (58), o Globo de Ouro de 2019 trouxe 25 categorias, sendo 14 delas de cinema e 11 de TV. O longa Era uma Vez em... Hollywood, criação do diretor Quentin Tarantino (56), e a série Fleabag, da atriz e dramaturga Phoebe Waller-Bridge (34), se consagraram com os principais prêmios da noite promovida pela Associação da Imprensa Estrangeira em Hollywood, a HFPA, considerada uma prévia do Oscar. A história de Tarantino abocanhou as estatuetas de Melhor Filme – Musical ou Comédia, Melhor Roteiro para Filme e Melhor Ator Coadjuvante em Filmes, para Brad Pitt (56), enquanto a produção para a TV levou duas, a de Melhor Atriz em Série de TV – Musical ou Comédia e Melhor série – Musical ou Comédia. “Gostaria de trazer minha mãe à premiação, mas não pude porque dizem que estou namorando toda mulher de quem estou próximo. Seria estranho”, disse Pitt, brincando sobre sua vida amorosa. Na mesma hora, sua ex-mulher, a atriz Jennifer Aniston (50), deu um leve sorriso, que foi interpretado nas redes sociais como irônico. Esta foi a primeira vez em que os atores foram ao mesmo Globo de Ouro desde a separação, sendo o último em 2002, quando ainda eram casados.

Acompanhado da namorada, a atriz Rooney Mara (34), Joaquin Phoenix (45) falou sobre a não competição entre os atores, ao subir no palco para receber o prêmio de Melhor Ator – Drama por interpretar o vilão Coringa no filme homônimo. Foi a segunda vez que ele levou a estatueta, após ser premiado em 2005 por interpretar o cantor Johnny Cash (1932–2003) em Johnny & June. “Vocês sabem que não existe competição entre a gente, os atores, porque aprendemos uns com os outros. Muitos aqui me deram oportunidades de continuar no caminho certo e eu sou muito grato a isso”, opinou Joaquin, que também elogiou o jantar totalmente vegano da 77ª edição do grandioso evento.

A apresentadora Ellen DeGeneres (61) e o ator Tom Hanks (63) receberam homenagens emocionantes pelas trajetórias dentro do mundo do entretenimento e foram agraciados, respectivamente, com os prêmios Carol Burnett e Cecil B. DeMille. Ellen, que foi ao lado da mulher, Portia de Rossi (46), fez questão de falar sobre sua carreira após assumir ser homossexual, em 1997. “Tudo que eu quero fazer é que as pessoas se sintam bem e sorriam, não tem coisa melhor do que saber que eu fiz pessoas ficarem bem com meu programa”, agradeceu DeGeneres. Já Tom derramou algumas lágrimas no palco ao ver sua família inteira o prestigiando. “É o resfriado que está me deixando emocionado! Eu não sou assim em casa, prometo! Um homem é abençoado quando tem a família sentada na fileira da frente, como agora”, brincou ele, apontando para a mesa onde estavam seus quatro filhos e a mulher, Rita Wilson (63), com quem é casado desde 1988. “Sou um homem muito feliz por ter cinco filhos que são mais sábios que o seu velho pai”, disse ele, cuja nora, Samantha Bryant, mulher do primogênito Colin Hanks (42), também considera como filha. O ator agradeceu colegas de profissão e disse que ‘roubou’ o talento de muitos colegas, citando alguns exemplos, como Meryl Streep (70) e Denzel Washington (65). “Você é um idiota se você não rouba o talento e todo o conhecimento das pessoas com que você trabalhou ao longo da carreira. E eu posso dizer roubei bastante”, comentou ele, ovacionado pela plateia.

Último acesso: 03 Jul 2020 - 17:26:00 (340290).