Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Revista / Veja Também

Camila Rodrigues

Em família na Ilha de CARAS, atriz diz como reencontrou o equilíbrio

Redação Publicado em 11/04/2010, às 19h08 - Atualizado em 07/06/2012, às 23h26

A atriz, que assume ter vivido um período 'esquisito em 2009', se diverte em Angra dos Reis com as peripécias do irmão, Kauê, e do pai, Álvaro, no jet ski. - SELMY YASSUDA/ARTEMISIA FOT. E COMUNICAÇÃO; PRODUÇÃO: MIRIAN FONSECA; BELEZA: DUH; AGRADECIMENTO: RAQUEL SCHIAVON
A atriz, que assume ter vivido um período 'esquisito em 2009', se diverte em Angra dos Reis com as peripécias do irmão, Kauê, e do pai, Álvaro, no jet ski. - SELMY YASSUDA/ARTEMISIA FOT. E COMUNICAÇÃO; PRODUÇÃO: MIRIAN FONSECA; BELEZA: DUH; AGRADECIMENTO: RAQUEL SCHIAVON
Há poucos meses, Camila Rodrigues (26) sentou na cadeira do salão de beleza e pediu uma transformação radical. Viu os fios longos sendo cortados acima dos ombros, as mechas repicadas e a tonalidade ficando mais clara. O desejo pelo novo visual simbolizou o início de muitas mudanças em sua vida. Ano passado, confessa, jamais teria essa coragem. "Em 2009, passei por um período esquisito. Em um certo momento, parecia que a noite e o dia não tinham fim. Saía sempre, quase não dormia e estava com pessoas que pensava serem meus amigos. Não entrei em depressão, mas comecei a me questionar. Não estava me entendendo. Achei que havia encontrado a felicidade. Mas aquela não era eu", explica Camila, na Ilha de CARAS. Cercada pelos pais, Álvaro (52) e Eliete (49), os irmãos, Kauê (20) e Dalila (27), e o sobrinho, Pedro Henrique (2), ela ressalta que tê-los por perto foi essencial para retomar o seu eixo. "Precisei parar e me centrar. Com isso, acabei me aproximando ainda mais da família. E hoje posso dizer: eu voltei. Nossa, ufa! Obrigada, Papai do Céu. Estou com a mesma essência, sou uma pessoa divertida, que gosta de rir de tudo...", festeja. O entusiasmo da atriz logo rendeu bons frutos e ela pôde pôr em prática desejos antigos. Faz aulas na Oficina da Globo para atores contratados e voltou aos palcos com a peça Decameron - A Comédia do Sexo, em turnê pelo Brasil. Na vida amorosa, está solteira. No início do ano, viveu um breve romance com o ator Eduardo Pelizzari (24). Tranquila, garante não ter pressa para se apaixonar novamente. "Se alguém chegar é para acrescentar. Estou em paz comigo e isso é que importa", afirma. - A separação de Bruno Gagliasso, em 2008, contribuiu para a fase de questionamentos? - Uma separação é sempre difícil. Mas já é uma página virada na minha vida. Na época, não foi o acontecimento mais fácil pelo qual passei. Meu pai e minha mãe são casados há mais de vinte anos e minha irmã, há sete. Via a união como eterna. Não casamos pensando que vai terminar. Mas se acontece, é porque tinha que ser. Então, bola para frente. Mas o rompimento com Bruno não foi o motivo dessa fase estranha. - O que você espera de um próximo relacionamento? - Prefiro não idealizar. Não sou do tipo que deseja um buquê de flores todos os dias. Mas se meu próximo namorado tiver esse romantismo, vou achar lindo. Se não, tudo bem. A pessoa pode chegar, fazer uma piada, que vou amar do mesmo jeito. Cada relação é única. O coração não escolhe estereótipos, o amor apenas acontece. - Então você tem vontade de casar de novo? - Claro, não deixei de acreditar no casamento. Mas minha visão mudou bastante. Hoje, penso que uma união vai muito além de um papel. Antigamente, achava que precisava da aliança, do véu e da grinalda. Hoje, tenho plena consciência de que isso não muda o amor. O compromisso não está em uma certidão, no vestido ou na festa. Mas sim, no sentimento que temos. Esse é o verdadeiro significado do casamento. - Em primeiro lugar vem a vida profissional ou pessoal? - A pessoal. Claro, eu trabalho, sou atriz. Eu que escolhi esse caminho que tanto amo. Mas a carreira não pode vir em primeiro plano, de jeito nenhum. Tenho que estar estabilizada emocionalmente para fazer qualquer tipo de papel. Não adianta fazer trabalhos maravilhosos, mas estar com a vida enlouquecida e chegar em casa e chorar o dia inteiro. - Você se considera sensual? - O que muitos não sabem é que sou completamente estabanada. Muitas vezes, já quis fazer pose em um restaurante chique. Não deu certo. Em dois minutos, eu quebrava uma taça (risos). Sou moleque, gosto de jogar futebol e pular de paraquedas. As pessoas acham que sou menininha e definitivamente não sou. Tenho sempre um machucado no corpo... Mas a sensualidade está justamente em ser natural, se sentir confortável. Gosto de mim. Também não reclamo das minhas curvas. É claro que, se pudesse ser magrinha, ia adorar. Mas Deus me fez com quadril largo e perna grossa. Temos que nos amar do jeito que somos. Assista também ao vídeo da TV CARAS da atriz na Ilha!