Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Novelas / PERRENGUE

Atriz de Elas por Elas jantava pipoca por falta de dinheiro em início de carreira

Atriz de Elas por Elas passou por perrengues quando se mudou para o Rio de Janeiro aos dezessete anos

Rayssa Bratilieri vive Ísis em Elas por Elas - Reprodução/Globo
Rayssa Bratilieri vive Ísis em Elas por Elas - Reprodução/Globo

Rayssa Bratilieri (25) estrelaElas por Elas como a personagem Ísis, filha de Adriana, interpretada por Thalita Carauta (41). A atriz se mudou aos dezessete anos para o Rio de Janeiro para percorrer o sonho da profissão artística e passou por alguns perrengues ao longo do caminho. No início de carreira, ela jantava pipoca por falta de dinheiro.

"Passei muitos percalços em relação ao dinheiro. Muitas vezes, jantava pipoca, porque ou guardava o dinheiro para ir para o curso ou guardava para comer. Então, comprava um pote de pipoca e fazia na janta. Não foi fácil. Minha mãe me ligava e perguntava: 'O que você vai jantar?'. Quando eu respondia que era pipoca, ela chorava. Mas nunca pensei em desistir. Sabia que ia ser passageiro", declarou a atriz de Elas por Elas durante bate papo com a revista Quem, em 2019.

"Depois de um tempo, meu pai começou a acreditar mais em mim e também me ajudou. O que eu ganhava no teatro era para fazer o meu mercado. Minha mãe me ajudava, mas sempre foi tudo muito contado", adicionou Rayssa Bratilieri.

Entre os perrengues vividos, a atriz de Elas por Elas também destacou a distância da família: "O maior contra de vir para cá foi a minha família. Minha mãe me ligava três, quatro vezes por dia. Mas a gente sempre foi muito conectado. Sentia que eles estavam do meu lado, mesmo não estando".

Leia também: Polvilho de Elas por Elas, Gahbi revela como entrou para o elenco: 'Forma inesperada'

Rayssa Bratilieri ainda relembrou como foi a mudança para o Rio de Janeiro: "Já morei em sete lugares diferentes, alugava quarto em casas de família. Me mudei sem conhecer ninguém, só conhecia uma diretora de teatro infantil que foi quem me ajudou a conseguir a fazer as primeiras peças".