Música Polêmica

Wanessa revela sua opinião sobre LGBT e feminismo: ''Tem muita mulher que dá porrada em homem''

Após cantar em inglês, a artista tem feito sucesso com o público gay

quinta 2 agosto, 2018
Wanessa Camargo
Wanessa Camargo Instagram / Reprodução

Após uma pausa na carreira, Wanessa retornou ao pop e atraiu o público LGBT ao lançar o sucesso Shine It On, música considerada um hino gay.

Falando com exclusividade para a CARAS Digital na Casa de Criadores, evento de moda criativa em São Paulo, a artista comentou sobre como se sente ao saber que a música é de grande importância para o movimento: “Me sinto honrada e feliz. Toda música que você faz é com o intuito de as pessoas se identificarem, gostarem, se emocionarem e até chorarem. Enfim, algumas [músicas] têm algo a mais, outras são só para se divertir”.

Mais Notícias

A mãe de José MarcusJoão Francisco ressaltou que sempre acreditou na canção em inglês. “Ela [música] tem uma mensagem muito bacana que é sobre brilhar, de não deixar que nada apague o seu brilho de alguma forma. É uma música em que eu sempre acreditei muito, mas não pensei que seria um hino. Então foi uma surpresa ter o público LGBT gostando, provando. Foi uma coisa superlegal na minha carreira”, disse ela.

Embalada pelas causas sociais, a filha de Zezé Di Camargo afirmou que se considera feminista, porém dispensa o radicalismo. “Cada um tem o seu jeito. Sim, eu quero ser independente. Sim, eu acho que as mulheres merecem os mesmos direitos que os homens. Mas eu gosto que abram as portas para mim, eu acho que uma delicadeza de vez em quando não tem problema. Abrir um vinho pra mim, sabe? Não vejo problema nenhum”, declarou.

A morena também destacou que o jeito feminino pode ser muitas vezes uma vantagem: “Existem diferenças fisiológicas entre homens e mulheres. Eu acho que as mulheres são mais aptas a negociações, à harmonia, um jeito feminino de lidar com as coisas. Claro que há exceções, tem muita mulher que dá porrada em homem, aí vai acabar com tudo. Tem que ter fisicamente um mais forte, mas em geral, a gente tem que respeitar essas diferenças. Tudo bem se a mulher quer ser cortejada de certa maneira, mesmo que para algumas [mulheres] seja um absurdo”.

Segundo ela, não podemos definir um discurso e muito menos tirar a liberdade da mulher. “O que eu não gosto é que definam um discurso e limitem a mulher porque ela é mulher. Ela pode falar e ser o que quiser. Quem diz o que ela é e como vai se portar é ela mesma, então para mim tudo o que tira dela a liberdade de alguma forma, por definição de gênero, eu acho um absurdo”, finalizou a artista.

por Baárbara Martinez
Atualizado quinta 2 agosto, 2018 (305025) | 17/12/2018 08:53:25

Mais conteúdo sobre:

CARAS Recomenda

  1. Arquiteta Teresa Simões é homenageada na Festa Talentos
  2. Vencedores da Rolling Stones Music Run recebem presente
  3. Dezembro Laranja mobiliza famosos e colore o País
  4. Ivete Sangalo embala comemoração dos 25 anos de CARAS

Receba em Casa

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

  1. 1 Dudu Azevedo mostra conversa especial com filho de 3 meses
  2. 2 O Sétimo Guardião: Luz enfrenta Valentina
  3. 3 Miss Filipinas Catriona Grey é eleita Miss Universo 2018
  4. 4 Neymar Jr. faz piada hilária e zoa adversário de Medina
  5. 5 Após término com Stronda, Luane Dias admite depressão
  6. 6 No aniversário da mãe, Laura Neiva batiza irmã de 4 meses
  7. 7 Dani Calabresa rebate crítica de Carlinhos de Jesus
  8. 8 Sérgio Malheiros alfineta companheira de Dança dos Famosos
  9. 9 Casados! Iza e Sérgio Santos reúnem amigos em festa elegante
  10. 10 Bárbara Paz se revolta contra João de Deus: ''Não há perdão'