Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARAS
Música / MULHERÃO

''Qualquer mulher é digna de olhares e de despertar paixões'', diz Mariana Xavier sobre Jenifer

Em conversa exclusiva com a CARAS Digital, atriz falou sobre os bastidores do clipe e a importância de quebrar padrões estéticos

Juliana Pio Publicado em 17/01/2019, às 10h32 - Atualizado às 12h53

Mariana Xavier, musa de Jenifer, novo hit do verão - Divulgação/Gabriel Diniz
Mariana Xavier, musa de Jenifer, novo hit do verão - Divulgação/Gabriel Diniz

Com mais de 100 milhões de visualizações no YouTube, o clipe do novo hit do verão, Jenifer, caiu no gosto do público não apenas pela melodia dançante, letra fácil e alegre mas também pela presença marcante da atriz Mariana Xavier

Interpretando a personagem principal, ela, mais uma vez, desconstruiu padrões estéticos e gerou identificação por parte do público ao mostrar, em suas palavras, durante entrevista exclusiva para a CARAS Digital, “que qualquer mulher é digna de olhares, de amor e de despertar paixões”.

Mulherão de personalidade forte, riso frouxo e simpatia contagiante, Mariana não pensa duas vezes quando se trata de passar conceitos relevantes e quebrar paradigmas com mensagens positivas, principalmente por meio da comédia. Não é à toa que tudo o que toca vira ouro. 

No currículo, ela já soma 17 peças, três novelas e quatro filmes. Seu penúltimo longa, Minha Mãe É uma Peça 2, no qual interpreta Marcelina, se tornou a maior bilheteria da história do cinema nacional, sendo visto por 8,8 milhões de espectadores.

O sucesso na dramaturgia lhe rendeu também convites para atuar no mundo da música. Fato é que Jenifer é o sexto videoclipe com a participação da carioca. Mesmo assim, o convite a surpreendeu. “Como tinha feito o clipe do Dilsinho antes, com um papel grande, que também gerou boa repercussão, nunca imaginei que fossem me chamar novamente para fazer outra personagem principal”, conta a atriz, que já foi protagonista no clipe da canção Cansei de Farra, do músico Dilsinho. 

“O mais engraçado é que o Gabriel Diniz, cantor de Jenifer, se parece muito com o Dilsinho. A gente brincou bastante com isso”, comenta Mariana, que fez até um meme com o trio, com a seguinte legenda: “Separados pela maternidade, unidos por uma Mariana Xavier” (veja na imagem abaixo).

Mulheres reais

A proposta do clipe feita pela Universal Music era transformar Mariana em uma mulher ainda mais linda, sem deboches e nenhuma menção ao peso. Uma mulher absolutamente normal, iluminada, feliz e livre, que deixa os homens encantados por ela. “Aí falei: beleza! Tudo o que precisamos para poder normalizar a presença de um corpo gordo”, disse a atriz ao aceitar o convite. 

E ela estava certa. A identificação por parte do público bombou o clipe e lhe rendeu mais de 200 mil seguidores nas redes sociais. Segundo Mariana, nem nos melhores sonhos ela imaginava tamanha repercussão. “Tem horas que fecho os olhos e acho que estou sonhando. Uma atriz espera ficar conhecida neste nível por uma novela das nove, uma vilã, ou por um filme, como fiquei com a Marcelina, mas nunca, e acho que nunca passou na cabeça de nenhuma atriz, ficar conhecida desse jeito por causa de um videoclipe.”  

De acordo com ela, as pessoas a têm procurado para dizer o quanto estão alegres por se sentirem representadas. Tal fato começou com o clipe do Dilsinho e agora explodiu de vez. “Acho que estou muito mais próxima da média da população feminina do que as musas que costumamos ver em clipes, novelas e filmes. As pessoas pensam: se pode ser a Mariana, também podem ser elas”, ressalta a atriz, que sempre lutou contra a gordofobia, inclusive, por meio do seu canal Mundo Gordelícia, no YouTube. 

Embora a linguagem das músicas de Dilsinho e Gabriel Diniz seja diferente, ambas abordam o empoderamento feminino. “Em Cansei de Farra, a personagem principal é uma mocinha romântica, mais clássica, mas não deixa de ser feminista e empoderada, uma vez que rasga os protocolos e pede a mão do pretendente em casamento”, avalia Mariana. 

Já Jenifer é uma mulher livre, divertida e feliz por ser quem ela é, por isso é a escolhida pelo mocinho. “Uma pessoa que se aceita tende a ser alguém melhor em relacionamentos, porque ela acaba aceitando o outro também, com suas luzes e sombras, qualidades e imperfeições”, reflete. 

Meu nome não é Jenifer

Assim como ocorreu na época da personagem Marcelina, muitas pessoas nas ruas têm chamado Mariana pelo nome de Jenifer. “Neste momento, não está me incomodando. Estou achando divertido, porque está me dando um descanso de ser chamada de Marcelina. Foram seis anos”, lembra.

De acordo com a atriz, que já desabafou sobre o assunto nas redes sociais, na maioria das vezes, Marcelina vinha acompanhada de adjetivos depreciativos por causa do filme, como imensa, imunda e garota porca, o que gerava certo constrangimento. “Mesmo que não seja você, e sim o personagem, não é agradável quando se está na sua vida normal e alguém te chama dessa forma.”  

Felizmente, com a Jenifer são só elogios e palavras positivas, o que tem agradado a atriz, que já deixa um alerta: “Mas pode ser que daqui a algum tempo não aguente mais. Por exemplo, todo mundo está me marcando em milhares de memes. O meu celular já não tem mais espaço para receber vídeos e fotos”. 


Post recente de Mariana Xavier no Instagram. "Se me fizer passar vergonha na rua gritando Marcelina eu dou na caaaaaara, mas eles vão voltaaaaaarrrrrr! E em dose dupla: nas telonas do cinema e nas telinhas do GloboPlay", revelou a legenda. 

Marcelina é a verdadeira Jenifer?

Mariana, que começou no teatro na infância, aos 9 anos, acredita que o sucesso do clipe foi uma combinação de fatores. 

A música, além de ser alegre e ter um refrão chiclete, é a cara do verão, pois fala sobre paquera e aplicativos muito utilizados, principalmente, nesta estação. “O fato de ter feito a Marcelina, anteriormente, também ajudou e rendeu memes infinitos. Alguns dizem que a personagem está no Tinder disfarçada de Jenifer”, conta a atriz, em boas gargalhadas. 

Outra brincadeira recente entre os internautas envolve a nova música de Dilsinho, Péssimo Negócio. Por causa da letra, “coração me fala, como é que você faz um negócio desses? Trocar um pra sempre por às vezes”, estão dizendo que a Jenifer terminou o casamento feito com Dilsinho no clipe Cansei de Farra e entrou no Tinder para encontrar o Gabriel Diniz.

Perguntada se utiliza o Tinder, Mariana foi categórica: “Tenho o Tinder e o Happn. Já tive boas histórias, gostosas enquanto duraram, mas nada que tenha virado um relacionamento”, revela a atriz, que embora esteja solteira, não tem entrado nos aplicativos, por causa da grande exposição momentânea. 

Pé-quente!

“Eu nem sabia que estava com essa fama toda. Mas, de fato, estou envolvida em coisas bacanas”, afirmou Mariana, que acredita que seu sucesso esteja ligado à questão da identificação. Além do corpo, mais próximo da realidade da maioria da população brasileira, a personalidade é outro ponto que sempre agradou os fãs.

“Eu não alimento essa ideia da celebridade perfeita, que acorda de cílios postiços. Sou muito transparente com meu público e acho que isso gera muita identificação, porque as pessoas estão cansadas de ser enganadas e de ficar procurando essa perfeição. Então, quando elas veem alguém em quem se reconhecem, se identificam, inclusive nas imperfeições, acho que isso é muito poderoso.”

Novidades no ar

Não passado o sucesso de Jenifer, Mariana já está com a agenda lotada de compromissos. A atriz prepara sua primeira peça solo, com direção de Lázaro Ramos. Antes do Ano Que Vem, em fase de captação de recursos, é uma comédia que aborda temas sérios, como solidão e depressão, com estreia prevista para o meio do ano. 

Além do novo espetáculo, Mariana está no elenco do filme Minha Mãe É uma Peça 3, previsto para estrear em dezembro, e, em 2020, a franquia será transformada em série para ser veiculada no Globo Play. 

“Adoro esses desafios e acredito muito na comédia, como forma de levar as pessoas à reflexão sobre assuntos importantes. Acho que desarma o espectador por meio do riso e faz ele pensar”, finaliza.