Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Música / Like a Virgin

Pioneira! Como Madonna abriu espaço para Beyoncé, Anitta e todas as divas pop

A rainha do pop completa 6 décadas de vida e de muito sucesso

Yolanda Reis Publicado em 16/08/2018, às 14h51 - Atualizado às 16h16

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Madonna - Getty
Madonna - Getty

Se não fosse por Madonna, provavelmente Beyoncé não existiria. Nem Rihanna. Nem Shakira. E, basicamente, nem nenhuma musa do pop. Isso porque a cantora, lá pelos anos 1980,inventou o que hoje chamamos de diva pop. E, nesta quinta-feira, 16, a rainha completa 60 anos!

A artista tinha espírito forte desde menina. Perdeu a mãe antes dos 6 anos de idade, e se revoltou quando o pai casou-se novamente. Andava pela escola de ponta-cabeça, apoiada em suas mãos, recusava-se a depilar o corpo, e vivia levantando suas saias para deixar os garotos verem sua calcinha, principalmente para provocar os adultos. 

Sempre ousada, revolucionou o mundo da música com seus looks extravagantes, letras provocantes e movimentos pouco dignos da "família tradicional americana". Por conta da excentricidade, virou sucesso no globo inteiro. Começou a influenciar a moda, principalmente das mulheres, e no comportamento das jovens. Não demorou para o seu jeitinho Madonna de ser virar um ícone.

Seu début veio em 1982, com o álbum solo auto-intitulado. E Madonna já começou com tudo! A coletânea lançou vários sucessos polêmicos, como o revolucionário Borderline. Mas foi em 1984 que veio a bomba que a deixaria famosa: Like a Virgin. A música trazia versos ousados para a época: "você fez eu me sentir / como uma virgem / tocada pela primeiríssima vez". Em meio a uma recente revolução sexual, o papo chocou os membros mais tradicionais da sociedade, que pediam a retirada de seus videoclipes da MTV e boicote das rádios às músicas. Um de seus vídeos, inclusive, foi rechaçado pelo Vaticano. A repulsa não adiantou nada, é claro - no máximo, deu-lhe mais fôlego. 

Isso fez com que um novo tipo de artista nascesse: uma mulher forte, independente, e principalmente sensual - dona de seu próprio corpo e de seus desejos sexuais. Madonna abriu várias portas e carregou pela mão diversas outras divas musicais que vieram depois: Spicy Girls, Britney Spears, Shakira, Beyoncé e até Anitta. Todas se inspiraram na agora chamada rainha do pop, que criou um espaço novo no mundo musical, onde a mulher poderia expressar sua sexualidade.

Hoje, é uma das musicistas mais famosas do mundo. É a artista musical solo mais bem sucedida do mundo (no ranking geral fica atrás apenas dos Beatles). E é a segunda artista na lista de mais músicas nas paradas da Billboard, perdendo também para os Beatles. Tem 13 discos lançados, e mais de 300 milhões de álbuns vendidos. Em maio deste ano, anunciou em seu Instagram que trabalha em um novo álbum.