Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

A nova vida de Paris Jackson após tentativa de suicídio

Após ficar mais de um mês internada, Paris Jackson vive em um colégio interno com nome falso e família paga 14 mil dólares por mês por seu tratamento

CARAS Online Publicado em 23/08/2013, às 20h34 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Paris Jackson - Reprodução / Twitter
Paris Jackson - Reprodução / Twitter

Paris Jackson, filha do cantor morto Michael Jackson, está reconstruindo a sua vida após uma suposta tentativa de suicídio no mês de junho deste ano. De acordo com o tabloide Daily Mail, a menina está vivendo em um internato fora da Califórnia, Estados Unidos, e teve uma boa adaptação a sua nova rotina e amigos. Ela está no local com um nome falso e a família paga cerca de 14 mil dólares por mês no tratamento e educação da adolescente.

+Justin Bieber lança dueto póstumo com Michael Jackson

A filha de Michael já fez novos amigos na escola e fala com frequência com sua família, como os irmãos, Prince e Blanket, a avó Katherine Jackson, e a mãe biológica, Debbie Rowe. “Paris está absolutamente feliz no internato. Ela está fazendo amigos, e é maravilhoso de ver, dada a escuridão que tomou conta de sua vida. Regularmente, ela fala com a família por vídeos na internet. Seu acesso à internet é rigorosamente monitorado. Os alunos da escola vieram de diferentes lugares e Paris é tratada como qualquer outro estudante, o que ela realmente ama. Paris sabe que permanecerá no colégio interno, que é especializado em adolescentes problemáticos, por mais um mês para que tenha uma recuperação completa. A coisa mais importante para Paris é ter estabilidade, uma rotina e estar em um ambiente seguro para que possa lidar com seus problemas”, disse uma fonte.

+Mãe de Michael Jackson revela que filho não queria mais dançar moonwalk aos 50 anos

Paris Jackson foi internada no dia 5 de junho ao tentar cometer o suicídio. Ela foi encontrada com vários cortes nos pulsos e teve que permanecer internada. A menina deixou o hospital UCLA Medical Center no início do mês de julho, após mais de um mês internada. “A sensação é de que Paris ainda é perigosa para si própria. Tanto Katherine quanto Debbie querem que ela tenha a ajuda da qual necessita”, disse um informante, na época.