Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

‘Michael Jackson me obrigou a fazer atos sexuais’, acusa coreógrafo

Redação Publicado em 16/05/2013, às 10h32 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Michael Jackson - Getty Images
Michael Jackson - Getty Images

Michael Jackson, que morreu em 2009, se tornou alvo de uma nova acusação de abuso sexual. O coreógrafo Wade Robson (30), que trabalhou com o cantor desde criança, declarou no tribunal que o Rei do Pop o molestou durante sete anos. Nesta quinta-feira, 16, ele deu uma entrevista ao programa Today, dos Estados Unidos, e fez novas revelações.

De acordo com Robson, ele foi abusado pelo cantor dos sete aos 14 anos. “Ele fez atos sexuais comigo e me obrigou a fazer atos sexuais com ele”, disse. O coreógrafo, que já trabalhou com Britney Spears e Usher, decidiu fazer essa revelação agora após ter sido chamado como testemunha do processo que a família de Jackson move contra a AEG Live, produtora que organizava a última turnê do cantor.

Robson é australiano, mas mudou-se para os Estados Unidos com toda a família depois que se tornou um ‘dançarino prodígio’. Ele apareceu em três clipes de Michael Jackson: Black or White, Jam e Heal the World.

O coreógrafo disse que guardou a verdade até hoje, pois não estava pronto para encarar os fatos, até perceber que um estranho poderia molestar seu filho, de apenas dois anos. “Esse não é um caso de memória reprimida. Eu nunca esqueci nenhum momento do que Michael fez comigo, mas eu estava psicologicamente e emocionalmente inválido e indisposto a entender o que é um abuso sexual”, declarou no programa.

Em 1993, quando Michael Jackson enfrentou outra acusação por abuso sexual, o cantor teria induzido Robson, que na época tinha 11 anos, a ficar quieto sobre o que acontecia entre eles. De acordo com o coreógrafo, Jackson o chamava todos os dias para ‘brincar’ e dizer que se alguém soubesse o que acontecia entre eles, ‘os dois passariam o resto da vida na cadeia’.

“Foi manipulação completa e uma lavagem cerebral. Ele ia interpretar um personagem e queria me treinar para este cenário”, disse. “Eu vivi em silêncio e negação por 22 anos e não posso gastar mais tempo nisso... Eu nunca vou deixar isso para trás por dinheiro. Eu nunca vou me silenciar por dinheiro. Isso não vai acontecer”, falou.

Robson afirmou que conhecia um Michael Jackson diferente do mundo. “A imagem que alguém apresenta para o mundo não é toda explicação de quem ela é. Michael era, sim, um incrível artista talentoso com um incrível dom. Ele era muitas coisas. Assim como ele também era um pedófilo e um molestador de crianças”, declarou.

Howard Weitzman, o advogado da família Jackson, divulgou uma declaração sobre a recente acusação ao cantor: “A acusação do Sr. Robson é ridícula e patética. Este jovem homem que  testemunhou por pelos menos duas vezes, durante esses 20 anos, disse em inúmeras entrevistas que Michael Jackson nunca tinha feito nada inapropriado para ele ou com ele. Agora, poucos anos depois da morte de Michael, esta declaração triste e sem credibilidade foi feita”.