Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

"Foi eterno enquanto durou", diz Lulu sobre casamento com Scarlet

Cantor Lulu Santos lamenta morte de ex-mulher, com quem foi casado por 28 anos

Redação Publicado em 05/06/2013, às 12h29 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

No final da década de 70, Scarlet passa a viver com Lulu Santos, com quem manteve um relacionamento por 30 anos - Divulgação/Thereza Eugênia
No final da década de 70, Scarlet passa a viver com Lulu Santos, com quem manteve um relacionamento por 30 anos - Divulgação/Thereza Eugênia

O cantor Lulu Santos usou o Twitter para desabafar sobre a morte de sua ex-mulher, Scarlet Moon, com quem manteve um relacionamento de 28 anos, que gerou três filhos: Gabriela, Christovam e Theodora.

Morre Scarlet Moon, ex-mulher do cantor Lulu Santos, aos 62 anos 

"Perdemos Scarlet, todos nós, e isto é devastador em alguma medida pra cada um. Para mim é imensurável. Por um quarto de minha vida dividi um leito, filhos, projetos, esperanças, desapontamentos, perdas, alegria e tristeza, fomos casados, e foi eterno enquanto durou", escreveu o cantor.

"Nos separamos há mais tempo do que fomos casados, mas nossa história, como se diz, marcou. Os últimos anos foram uma batalha morro acima contra uma devastadora doença degenerativa que lhe roubou a vida em vida, e isto, em mim, sempre doeu a mais não caber. Perdemos Miss Moon para uma moléstia cruel, mas não em nossas memórias", explicou Lulu, referindo-se à Síndrome de Shy-Drager, doença que acompanhou Scarlet nos últimos anos e que causa a atrofia de múltiplos sistemas e pode ser confundida com a doença de Parkinson.

"A beleza incomum, a inteligência aguda, a gargalhada fácil, o desvelo com os seus são o legado para nós. Viva Scarlet Moon de Chevalier, a pessoa, o nome e a lenda, e, sem esquecer, as canções que fiz para vc, Sinhá!", disse o cantor e compositor sobre sua amada.

Scarlet trabalhou em diversos canais de televisão, chegou a participar do Fantástico e do Jornal Hoje anos 1970. Nos anos 90, ela lançou os livros Areias Escaldantes e Dr. Roni e Mr Quito: A Vida do Amado e Temido Boêmio de Ipanema, biografia sobre o irmão Roniquito.

O velório será na Capela 5 do Cemitério São João Batista, em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro, das 9h até às 16h. E o corpo deverá ser cremado na quinta-feira, 6.