Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Música / Carreira

Luísa Sonza relembra começo simples e bullying que sofria: "Todo mundo ficava rindo de mim''

A cantora se apresentou na noite da última terça-feira, 25, no Prêmio Multishow

CARAS Digital Publicado em 26/09/2018, às 18h40 - Atualizado em 27/09/2018, às 10h27

Luísa Sonza fala sobre início de carreira - Reprodução/Instagram
Luísa Sonza fala sobre início de carreira - Reprodução/Instagram

Luísa Sonza assumiu uma grande responsabilidade na noite da última terça-feira, 25, ao apresentar uma homenagem a Ivete Sangalo no Prêmio Multishow 2018.

A cantora ficou tão emocionada com a oportunidade que desabafou com seus seguidores por meio das redes sociais na tarde desta quarta-feira, 26, e contou um pouco do começo simples que teve até chegar aonde está hoje.

"Gente eu tava aqui no quarto pensando como a vida é. Eu já falei mil vezes aqui que eu canto desde os sete anos e cantei por dez anos em uma banda. Eu tinha que me esforçar muito, porque eu estudava, eu era uma criança normal, só que eu tinha responsabilidades de fato de adulto e eu cantava com adultos muito cedo, com sete para oito anos. Eu entrei sem saber o que eu tava fazendo e entrei em uma coisa muito séria. Eram músicas de adulto também, era Beatles, Abba, eu nem sabia o que eu tava fazendo mas eu tava fazendo. Eu lembro do nervosismo que era, porque eu tinha que ir para a escola e nem na minha cidade eu estudava então demorava para chegar na escola e às vezes a gente errava uma letra no palco e tomava xingão.Várias vezes eu não queria mais fazer aquilo porque tava se tornando algo muito difícil porque aí os amiguinhos da escola zoavam que era música de velho. Nunca esqueço quando fiz um show na minha escola e todo mundo ficava rindo de mim. Debochando, sabe? E olha como a vida é!", declarou a loira. 

Além disso, a cantora falou um pouco sobre como é ter o reconhecimento que tem hoje. "Hoje eu entendo tudo. Tudo aquilo me fez crescer muito como pessoa. Eu sentia que eu tinha que passar por aquilo. Eu morava em uma cidadezinha de seis mil habitantes, eu nunca ia pensar que ia estar morando em São Paulo agora com 20 anos, nunca ia pensar que eu ia estar fazendo uma homenagem para a Ivete Sangalo no maior prêmio da música brasileira, nunca! E as coisas mudaram tão rápido... Eu nunca ia imaginar que eu ia conquistar o que eu conquistei, sabe? Porque foi tanto tempo fazendo tanto e não ganhando nada! 10 anos batalhando ali sem nenhum reconhecimento. E a batalha continua, é só o começo. Tem muita coisa pra evoluir, eu me considero uma criança, uma menina", finalizou a artista.